Blog

Trader

Como acompanhar o mercado internacional de ações?

Por Rodrigo Santos
12 setembro 2019 - 15:27 | Atualizado em 17 dezembro 2020 - 11:45
Como acompanhar o mercado internacional de ações?

Traders que querem ter sucesso nas suas atividades precisam estar atentos ao que acontece além da Bovespa. O mercado de ações ao redor do mundo tem impacto nos preços dos ativos negociados por aqui. As bolsas internacionais influenciam a confiança dos investidores, muitos deles também devem atuar no Brasil.

Diante disso, quem aplica em ativos precisa acompanhar diariamente e em tempo real tudo que acontece no mercado internacional. Todos os acontecimentos e movimentos realizados em outras bolsas podem influenciar diretamente a variação de preços daqui, e há alguns motivos que justificam isso.

Neste post, você entenderá mais sobre as atividades do mercado internacional e a sua influência no Brasil. Também vamos mostrar como as principais bolsas internacionais funcionam. Acompanhe a leitura e saiba como acompanhar o que acontece lá fora!

A importância de acompanhar bolsas internacionais

As bolsas internacionais não devem preocupar apenas quem está dentro do espaço geográfico nas quais elas estão inclusas. Um trader que atua no Brasil precisa saber o que acontece nos principais centros mundiais, já que é claro o impacto dos movimentos desses países na economia de diversas outras nações.

Por causa desse impacto natural, não basta ter conhecimento apenas do que acontece na Bovespa, bolsa de valores do Brasil. Por ser parceiro de negócios de outras nações de grande poderio econômico, como os Estados Unidos e a China, tudo o que acontece em outras grandes nações pode provocar a variação de preços por aqui.

No cotidiano de operação, o trader precisa ter práticas que o preparem para lidar com toda essa oscilação e entender os fatores que a causam. Mais do que estar atento aos preços dos ativos, é importante acompanhar o cenário macroeconômico.

Política, economia e notícias do mundo corporativo têm grande importância para o mercado e podem influenciar uma decisão de entrada ou saída de uma posição. Por isso, um trader capacitado a fazer bons negócios é aquele que está bem informado, que se mantém atento ao que acontece nos mercados internacionais.

Como acompanhar bolsas internacionais

Hoje, um trader que não está de olho no dinamismo do mercado está fadado a perder boas oportunidades. Pior, ele pode até mesmo não ter a percepção de um movimento de queda e, por causa disso, amargar perdas e prejuízos que prejudicam sua atuação. Dito isso, é importante estabelecer uma rotina em que a atualização seja parte fundamental.

É possível acompanhar o mercado nacional e internacional pela internet, seja no seu computador de operação, seja por meio de um smartphone. Não se trata só de notícias gerais em relação às bolsas internacionais, mas também da atenção aos indicadores.

Cada um dos mercados principais do mundo, ou seja, as bolsas de outros países, tem seus próprios indicadores. Em uma plataforma de negociações de qualidade, é possível acompanhá-los em tempo real e perceber suas variações. Os principais são:

  • Nasdaq;
  • bolsa de Tóquio — Nikkei;
  • bolsa da China — SSE 180.
  • bolsa de Nova York — Dow Jones, Average e NYSE Composite Index;
  • bolsa de Londres — FTSE 100 index, FTSE 250 index e FTSE 350 index;

As principais bolsas internacionais

Para acompanhar as bolsas de valores internacionais, é muito importante que você saiba diferenciar as principais características de cada uma. Para ajudar nessa tarefa, vamos explicar um pouco sobre algumas das principais bolsas internacionais. Confira e tire suas dúvidas!

NYSE

A NYSE (New York Stock Exchance) é a bolsa de valores de Nova York, considerada a maior do mundo por ter o maior valor capitalizado quando somado o valor total de todas as empresas listadas nela. Contudo, em relação ao valor diário transacionado, ela perde para a NASDAQ, outra bolsa de valores americana, sobre a qual falaremos posteriormente.

A NYSE é a bolsa em que as ações das maiores empresas americanas, e de algumas das principais empresas de outros países, são negociadas diariamente. Seus setores mais relevantes são o bancário, petrolífero e de exploração e extração de minerais preciosos.

A NYSE foi fundada em 1772 e, assim como a bolsa de valores brasileira (B3), é uma empresa que ganha dinheiro a partir da intermediação entre as negociações que ocorrem diariamente no mercado financeiro.

NASDAQ

A NASDAQ (National Association of Securities Dealers Automated Quotations) é outra bolsa de valores de Nova York, conhecida principalmente por ter as maiores empresas de tecnologia e internet listadas, como, Facebook, Amazon, Google, Apple e Netflix.

Ela foi criada em 1971 com a premissa de utilizar métodos mais tecnológicos, transparentes e avançados para realizar a intermediação entre os compradores e vendedores de ações, derivativos e outros instrumentos financeiros na bolsa de valores.

A NASDAQ conta com mais de 3 mil empresas listadas e atua da mesma forma que a NYSE e B3. Trata-se de um dos grandes termômetros do mercado financeiro, pois abriga empresas conhecidas ao redor de todo o globo, com números de faturamento e valores de mercado muito elevados em comparação à média.

Na recente queda das bolsas mundiais, impulsionada pela pandemia do coronavírus, a NASDAQ foi um grande parâmetro em relação às outras bolsas mundiais. Apesar da elevada depreciação dos preços de seus ativos, por serem empresas de tecnologia e resilientes, algumas acabaram se valorizando durante a crise, aumentando seus lucros e sua “fatia” do mercado.

Mesmo com a depreciação, que aconteceu em março de 2020, a NASDAQ já se recuperou e chega a atingir os picos máximos de sua história recente.

SSE

A SSE (Shangai Stock Exchange) é a bolsa de valores de Shangai, a principal bolsa de valores chinesa. Apesar de não ser extremamente expressiva, como a NASDAQ e a NYSE, ela deve ser monitorada por investidores, pois cada vez mais a China se aproxima da posição de principal economia global.

Trata-se de uma bolsa de valores bastante recente, com apenas 28 anos de existência, mas que já possui mais de mil empresas listadas e um valor de mercado de cerca de 4 trilhões de dólares. É uma marca bastante elevada devido à sua “idade de mercado”.

A relação da Bovespa com o mercado internacional

Os ativos de empresas da Bovespa estão sempre sob possíveis variações ocasionadas por ocorrências em bolsas ao redor do mundo. É sempre importante ressaltar que, mesmo nas operações nacionais, há capital estrangeiro de investidores de outros países. Isso faz com que acontecimentos globais influenciem, positiva ou negativamente, o que acontece no Brasil.

Atualmente, é impossível desassociar acontecimentos em grandes potências das atividades de negociações na Bovespa. Se a economia dos Estados Unidos passa por um momento sólido e de grande confiança, isso mexe com a motivação de investidores de lá que aplicam capital aqui. Ou seja, nesse movimento, o Brasil aproveita o otimismo, o que faz com que os preços das ações passem por uma subida.

O papel das commodities

Uma das opções de investimentos encontradas no Brasil são as commodities, no mercado futuro, isto é, compra e venda de preços fechados de contratos de soja, milho, petróleo, gado, entre outros. Como o Brasil tem uma relação direta de parceria com outras grandes nações que compram alguns desses produtos, a economia desses parceiros tem impacto direto no mercado de ações nacional.

Quanto mais esses países estão em um bom momento interno, maior será a sua capacidade de negociar com os produtores do mercado brasileiro a compra de matérias-primas. Naturalmente, o volume de vendas representa maior fôlego para a economia nacional, mais otimismo de mercado e preços interessantes para os traders.

As variações acontecem o tempo todo, e o que faz com que o investidor saiba a hora certa de fazer um movimento é justamente seu nível de informação. Com uma rotina intensa de acompanhamento de outros indicadores mundiais e da situação econômica de grandes potências, é possível estar pronto para aproveitar oportunidades únicas.

O Fast Trade como ferramenta essencial

Uma boa plataforma de negociações tem papel fundamental na rotina de um trader que precisa estar a par do que o mercado internacional propõe para a sua operação. O dinamismo da variação dos preços e os eventos que impactam os ativos podem acontecer a qualquer momento, e essas situações demandam uma ferramenta eficiente.

Em meio a isso, o Fast Trade surge como uma das melhores opções no mercado atualmente, sobretudo para quem atua no day trade. Trata-se de um software de negociações que traz todos os ativos do mercado na tela do computador ou smartphone, dividindo espaço com gráficos de análises e notícias em tempo real.

Informação no tempo certo

O Fast Trade tem em sua tela de operação a integração com o blog e área notícias que traz análises de mercados, artigos e notícias atualizadas sobre finanças e economia mundial. Além disso, a plataforma tem um RSS que traz novidades de maneira dinâmica e em tempo real para a interface de negociações em que o trader opera.

Agilidade para negociar

Aproveitar as oportunidades geradas pelo mercado internacional é algo que requer agilidade. Isso também é necessário em casos de saída de uma posição para evitar perdas que podem prejudicar o capital do investidor. Nos dois casos, a Fast Trade entrega eficácia por meio de agilidade e dinamismo. A plataforma nunca trava e traz atualizações de preço em tempo real.

Ser um trader é muito mais do que entender sobre análises e conhecer os principais ativos do mercado. A globalização tem impacto direto nos investimentos, por isso, é importante se manter atualizado e atento ao mercado internacional.

Fast Trade

A Fast Trade é uma plataforma diferenciada, que oferece diversos recursos para melhorar os resultados de traders de diferentes perfis e tempo de atuação. Com o uso do Fast Trade, é possível montar estudos, analisar gráficos, aprofundar-se com eficiência no cotidiano da Bolsa de Valores e em suas modificações constantes.

Abaixo, veja quais são os principais benefícios trazidos pela plataforma de Fast Trade:

  • tape reading;
  • estudos gráficos;
  • ferramentas de análise;
  • simulador de investimentos;
  • acompanhamento em tempo real;
  • feed de dados mais utilizado no Brasil;
  • cotações Internacionais (CFDs) e muito mais.

Agora que você já conhece os principais fatores presentes na vida de trader, pode entender melhor esse universo e potencializar o desempenho de seus negócios. Como vimos, atuar no mercado financeiro exige dedicação, conhecimento e visão estratégica, inclusive em relação ao mercado fora do Brasil. Portanto, é essencial se mante atualizado sobre as movimentações das principais bolsas internacionais.

Ficou com dúvidas? Você já investe em alguma das bolsas que trouxemos? Conte-nos a sua experiência com esse assunto, basta deixar um comentário logo abaixo!




Sobre o autor