Blog

Investidor Arrojado

Come-cotas: o que é e qual é a sua relação com o fundo de investimentos

Por Bruno Zago
09 junho 2021 - 14:25
Come-cotas

Você sabe o que é come-cotas e qual a relação dele com os rendimentos dos fundos de investimentos? Pois se a sua resposta foi negativa, saiba que é essencial começar a se informar agora mesmo sobre esse tema.

A cobrança do come-cotas é realizada pelo Governo periodicamente, em forma de cobrança de Imposto de Renda (IR). Existem alíquotas diferentes de acordo com o tipo de investimento e o perfil financeiro dos investidores, sendo que, em alguns casos, existe isenção do pagamento.

Neste artigo, vamos explicar o que é o come-cotas, assim como qual é a relação dele com os fundos de investimentos. Se quiser saber mais sobre o assunto, convidamos você a continuar a leitura e acompanhar!

O que é come-cotas nos fundos de investimentos?

O come-cotas é uma cobrança realizada sobre os investimentos de longo ou curto prazo. Ela é feita pela Fazenda em forma de Imposto de Renda a cada 6 meses, nos últimos dias dos meses de maio e novembro.

De forma simples, é possível dizer que o come-cotas corresponde a uma antecipação do recolhimento do IR, realizada pelo Governo sobre os ganhos dos fundos de investimentos. É importante observar que, no caso de fundos de rendimentos em ações, essa cobrança não ocorre, sendo o recolhimento realizado somente na hora do resgate.

Como o come-cotas funciona?

Conforme já informamos, a rentabilidade dos fundos de investimentos é sujeita ao recolhimento na fonte do IR. Diariamente, o administrador responsável do fundo deve apurar quais foram os ganhos alcançados pelo investidor e, com base neles, criar uma provisão de cobrança do IR em sua conta.

Essa diferença pode ser observada pelos valores diversos entre o saldo bruto (sem a cobrança do IR) e o líquido (já com o imposto descontado). Duas vezes no ano, são aplicadas as alíquotas menores de IR a partir da tabela regressiva.

É importante lembrar que, depois de 2 anos que o investimento foi realizado, são atingidas as alíquotas mínimas exigidas, e elas passam a ser iguais.

Quais são as alíquotas do come-cotas?

A taxação dos fundos de investimentos é feita com base na “tabela regressiva” do IR, o que significa que quanto maior for o tempo de resgate, menor será o imposto recolhido. Confira as alíquotas cobradas a seguir!

Cobrança para fundos de curto prazo

Veja as alíquotas relacionadas:

  • investimentos que tenham prazo para resgate de até 180 dias: 22,5%;
  • investimentos que tenham prazo de, no mínimo, 181 dias: 20%.

Cobrança para fundos de longo prazo

Confira, abaixo, as alíquotas cobradas nesse caso:

  • investimentos que tenham prazo para resgate de até 180 dias: 22,5%;
  • investimentos que tenham prazo de 181 a 360 dias: 20%;
  • investimentos que tenham prazo de 361 a 720 dias: 17,5%;
  • investimentos que tenham prazo de, no mínimo, 721 dias: 15%.

Cobrança sobre fundos de investimento em ações

Nesse caso, em qualquer investimento e em qualquer prazo, a alíquota é de 15%.

O come-cotas é taxado duas vezes?

A resposta é “não”. A tributação do come-cotas é feita sempre sobre o valor da alíquota aplicável, sendo assim, se a aplicação atingir o tempo mínimo para a cobrança desse valor, não haverá recolhimento no momento do resgate. Caso ocorra o resgate antes do tempo mínimo, no entanto, será cobrada a diferença restante.

Por exemplo: se um fundo de investimento de longo prazo for realizado, será cobrada sempre a alíquota de 15%, porém, se ocorrer o resgate da aplicação em um prazo em que a alíquota corresponda a 17,5%, serão cobrados apenas os 2,5% que faltam para chegar à tributação correta.

Quais são os fundos sujeitos ao come-cotas?

O come-cotas está presente em grande parte dos fundos de investimentos, sendo assim, é preciso considerá-lo na hora de decidir quais serão as aplicações realizadas. Isso porque, com a antecipação do recolhimento do IR, o valor aplicado cai a cada 6 meses.

Por essa lógica, na prática, não ocorre somente uma antecipação do recolhimento, pois, além do pagamento, o investidor deixará de receber um valor maior de seus rendimentos, visto que, se o IR é abatido, o que sobra, consequentemente, vai render menos.

Com o passar dos anos, a soma das cobranças antecipadas pode significar uma perda de ganhos relevante para o investidor, portanto, é recomendável ter atenção a esse fator.

Para exemplificar, podemos pensar em um come-cotas com o valor de R$ 200 pago no início do investimento. Em um primeiro momento, não parece muita coisa, porém, quando se pensa em longo prazo e a partir dos efeitos dos juros sobre juros, a perspectiva muda completamente.

Em uma hipótese de taxa anual de 10%, por um período de 20 anos, os R$ 200 iniciais se transformariam em R$ 1.350, ou, se pensarmos em um CDI que tem valorização de 100%, seria um valor próximo a R$ 5.500.

Essa é uma diferença significativa, ainda mais quando se pensa que é o exemplo de apenas um come-cotas, ou seja, a cada 6 meses, esse mesmo processo será realizado sobre os rendimentos das suas aplicações. Entre os investimentos que sofrem cobrança do come-cotas, estão:

  • fundos de renda fixa;
  • fundos multimercados;
  • fundos cambiais;
  • fundos DI.

A previdência privada está sujeita ao come-cotas?

Não, a previdência privada não sofre com incidência de come-cotas. Diferentemente do que ocorre com os fundos de investimentos, no caso da previdência privada, o recolhimento do IR é feito somente na hora do resgate.

Os valores cobrados vão depender do tipo de plano escolhido pelo investidor e de suas respectivas alíquotas. Além da ausência do come-cotas, a previdência privada ainda apresenta alguns benefícios, como:

  • investimento de longo prazo;
  • acessibilidade;
  • complemento de renda para a garantia de uma aposentadoria mais tranquila;
  • possibilidade de abatimento no IR para quem faz a declaração completa;
  • flexibilidade de resgate;
  • sucessão patrimonial;
  • liberdade para escolher a instituição sem ter que pagar novamente o IR.

Além da previdência privada, os fundos de ações também não sofrem com a incidência do come-cotas, sendo esses dois tipos de investimentos exceções que devem ser conhecidas pelos investidores.

Agora que você já sabe o que é o come-cotas e como ele é cobrado sobre os rendimentos de seus investimentos, pode se organizar para saber exatamente qual o impacto da cobrança sobre o rendimento de suas aplicações. Com informação e estratégia, é possível obter bons resultados.

Gostou do conteúdo? Então, entre em contato conosco e informe-se sobre esse e outros assuntos, que vão fazer a diferença na hora de escolher seus investimentos. Será um prazer ajudá-lo!




Sobre o autor