Blog

Investidor Arrojado

O que você precisa saber sobre o Circuit Breaker na Bovespa

Por Fernando Pisso
18 novembro 2021 - 16:08 | Atualizado em 18 novembro 2021 - 16:09
circuit breaker na bovespa

Um levantamento feito pela B3 revelou que o número de investidores na Bolsa cresceu 43% no primeiro semestre de 2021, com destaque para jovens e mulheres. Se você também tem interesse em fazer o seu dinheiro render dessa forma, é importante entender como funcionam as negociações. Um exemplo disso é o Circuit Breaker na Bovespa.

Essa ferramenta ainda gera muitas dúvidas para os novos investidores. Pensando nisso, vamos explicar como ela realmente funciona. Siga a leitura e descubra!

O que é Circuit Breaker na Bovespa?

O Circuit Breaker é um mecanismo que interrompe as operações e paralisa as negociações da bolsa quando as ações estão sofrendo grandes e atípicas quedas de preço.

O objetivo dessa ferramenta é proteger os investidores, evitando decisões desesperadas que tornem o mercado volátil. Basicamente, espera-se que o acionamento do mecanismo leve ao equilíbrio do mercado.

Quais são as regras do Circuit Breaker?

A utilização do Circuit Breaker na Bovespa está atrelada ao percentual de queda que o índice sofre, sendo que o tempo de paralisação aumenta gradualmente. Por ser simples e de fácil compreensão, é possível antecipar quando o mecanismo será acionado. Entenda as regras!

10% de queda do Ibovespa

Quando o Ibovespa sofre uma queda de 10% em relação ao valor do fechamento do dia anterior, acontece o primeiro Circuit Breaker, que gera a paralisação de todas as negociações da Bolsa de Valores por 30 minutos.

15% de queda do Ibovespa

Passados os 30 minutos de pausa, as operações são retomadas. Se após isso o índice continuar em queda, chegando a acumular 15% de desvalorização, um novo Circuit Breaker será acionado, gerando uma nova interrupção. Dessa vez, por uma hora.

20% de queda do Ibovespa

Após essa nova parada de uma hora, a Bolsa de Valores volta a operar. Nesse caso, se a desvalorização persistir a ponto de chegar a 20%, uma suspensão deve ocorrer por tempo indeterminado. Assim, cabe à Bovespa definir um novo prazo para reabertura das atividades.

Circuit Breaker no fim do pregão

O fim do pregão apresenta algumas exceções nas regras do Circuit Breaker. A primeira impede a aplicação do mecanismo nos últimos 30 minutos. Já a segunda diz que, se a ferramenta for acionada na última hora de atividades da Bovespa, só poderá ocorrer uma nova paralisação quando o mercado reabrir no dia seguinte e se passarem 30 minutos de operação.

Um novo Circuit Breaker pode acontecer?

Um Circuit Breaker somente acontece com a queda sistêmica de várias ações, a ponto de gerar uma ampla desvalorização no Ibovespa. Na prática, isso quer dizer que, mesmo que haja queda em algum investimento, outro deve se valorizar e compensar.

Assim, essas interrupções só acontecem em casos extremos e repentinos, quando o mercado não tem um plano de reação. Atualmente, os investidores estão mais preparados para essas crises, conseguem antecipá-las e buscar soluções para compensar as quedas.

Ao analisar a lógica por trás do mecanismo, ele é de fato a melhor atitude em situações assim, pois permite que o mercado pense e resolva o problema que gerou a desvalorização. Dessa forma, enquanto investidor, a chave é manter a calma e não se precipitar.

Ter a informação certa é a melhor maneira de tomar uma decisão. Agora que você sabe prever o acionamento do mecanismo e viu que um Circuit Breaker na Bovespa não deve ser encarado com desespero, busque entender as oportunidades que essa paralisação oferece e otimize seus resultados.

Gostou deste conteúdo e quer mais artigos assim? Siga nossos perfis nas redes sociais para acompanhar nossas publicações: Facebook, Instagram, LinkedIn, Twitter e YouTube.




Sobre o autor