Blog

Investidor Arrojado

Benchmark financeiro: confira os motivos para realizar essa prática!

Por Bruno Zago
23 dezembro 2020 - 18:30 | Atualizado em 23 dezembro 2020 - 18:48
Bechmark financeiro: confira os motivos para realizar essa prática!

Para avaliar o desempenho de suas aplicações, é importante ter índices de referência como o benchmark financeiro. Com esse índice, é possível saber se o investimento realizado foi mais rentável do que os demais que existem no mercado.

Nem sempre o valor positivo de uma negociação quer dizer rentabilidade, pois deve ser comparado a outros índices para saber se o ativo foi lucrativo. Por meio do Bechmark, você consegue assegurar o retorno do dinheiro e alcançar seus objetivos. Neste post, confira mais sobre o assunto para fazer uma boa análise de sua carteira de investimentos!

O que é benchmark financeiro?

O benchmark financeiro é um índice de referência que avalia a rentabilidade de um investimento. Cada categoria de aplicação tem o seu parâmetro, por isso, é preciso fazer a comparação do investimento com outros que sejam do mesmo risco. Desse modo, você saberá se a renda foi nominal ou real.

Vamos a um exemplo. Se um investimento tem retorno de 6% ao ano, isso não significa que o seu rendimento é bom ou ruim. De acordo com o benchmark financeiro, o que determina é ele é bom é a comparação do valor com outras aplicações do mesmo tipo, com nível de risco e desempenhos parecidos. Ou seja, se for uma renda fixa, não adianta confronta o rendimento com uma renda varável, pois as duas têm riscos distintos.

Quais são os principais benchmark financeiro?

Independentemente do investimento, é necessário realizar um comparativo para ter uma boa avaliação da sua rentabilidade. Por isso, confira a seguir quais são os principais benchmark financeiros.

Inflação

A inflação se refere ao aumento dos preços na economia e à desvalorização do dinheiro com o tempo. Por isso, ter uma rentabilidade acima dela é um indicativo favorável, mesmo que possa superar outros índices.

Em contrapartida, se a rentabilidade for abaixo da inflação, o investidor perde capital. A referência mais adequada, e a principal, é o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede o custo médio para aquisições de bens de consumo e serviços.

Taxa CDI

A taxa de Certificado de Depósito Interbancário (CDI) é utilizada como benchmark para aplicações conservadoras, pois o seu cálculo é a média dos empréstimos entre bancos. É a partir do CDI que as instituições financeiras calculam os juros dos investimentos de renda fixa para os clientes (inclusive, é utilizado os juros dos títulos privados).

Taxa Selic

Selic é a taxa básica de juros no Brasil. Ela está relacionada às negociações entre bancos e títulos públicos do governo. Tanto a Selic quanto o CDI fazem parte da renda fixa: enquanto, um benchmark faz transações com título privados (CDI), a outro monitora os investimentos em títulos públicos (Selic).

Ibovespa e índices setoriais da bolsa

Quando o assunto é renda variável, o índice Bovespa é o principal benchmark financeiro empregado. Ele indica a performance dos ativos das empresas com capital aberto negociados na Bolsa de Valores.

Como usar benchmark financeiro?

É preciso saber a forma correta de utilizar o benchmark financeiro para avaliar o desempenho da sua carteira. De acordo com os índices apresentados acima, nem todos servem para qualquer situação. Por isso, opte pelos mais indicados para realizar a sua comparação, como:

  • renda fixa: usar o CDI ou a taxa Selic, além do IPCA para verificar se a aplicação perdeu ou não valor;
  • renda variável: empregue o Ibovespa e o IPCA para analisar o efeito da inflação nas aplicações;
  • reserva de emergência: considere apenas o CDI ou a taxa Selic, uma vez que o foco é segurança e não a rentabilidade.

Enfim, o benchmark financeiro é importante por que ele associa a periodicidade de acompanhamento ao tipo de investimento. Dessa forma, você obtém um resultado exato de como está a rentabilidade de sua carteira de investimentos.

As dicas foram relevantes para você? Quem sabe essas informações também não servem para outras pessoas? Aproveite para compartilhar este conteúdo nas suas redes sociais!




Sobre o autor