Blog

Investidor Conservador

Entenda o que são títulos bancários e as opções disponíveis!

Por Adriano Ignatti
09 dezembro 2020 - 12:10 | Atualizado em 10 dezembro 2020 - 11:11
Os títulos bancários são alternativas de investimento buscadas por quem deseja rendimentos de segurança elevada. Eles também podem ser adquiridos para diversificar a parte de renda fixa da sua carteira de investimentos. Antes de fazer sua escolha, é importante entender melhor o que são e como funcionam esses títulos, quais são eles e suas vantagens, informações que serão encontradas nos tópicos seguintes. Confira!

Os títulos bancários são alternativas de investimento buscadas por quem deseja rendimentos de segurança elevada. Eles também podem ser adquiridos para diversificar a parte de renda fixa da sua carteira de investimentos.

Antes de fazer sua escolha, é importante entender melhor o que são e como funcionam esses títulos, quais são eles e suas vantagens, informações que serão encontradas nos tópicos seguintes. Confira!

O que são títulos bancários e como funcionam?

São produtos emitidos por instituições bancárias que têm o objetivo de captar recursos para financiar suas atividades. Na prática, eles funcionam de forma semelhante a um empréstimo: por meio do título, o investidor entrega capital ao banco e recebe os valores corrigidos no seu vencimento.

Os títulos podem ser pagos de forma prefixada ou pós-fixada. No primeiro tipo, o investidor já sabe quanto receberá na data de vencimento antecipadamente. Já no segundo caso, o valor é corrigido conforme o índice definido. Para consegui-los, o investidor pode procurar uma corretora de valores mobiliários ou negociar diretamente com o banco de preferência.

Quais são algumas alternativas de títulos bancários?

Instituições bancárias podem oferecer diferentes produtos financeiros com rentabilidade, condições, prazos e outras qualidades. Entenda como funcionam alguns deles abaixo.

LCI e LCA

A Letra de Crédito Imobiliário (LCI) e a Letra de Crédito do Agronegócio (LCA) têm a rentabilidade estabelecida pelo banco, isenta do Imposto de Renda (IR) e atrelada ao Certificado de Depósito Interbancário (CDI), taxa formada a partir das negociações de títulos entre bancos.

Geralmente, o prazo para resgate do título fica entre 30 e 360 dias e a liquidez é definida pelo emissor. Outra informação relevante é a proteção do Fundo Garantidor de Crédito (FGC), que ressarce o investidor até R$ 250 mil caso o banco não tenha condições de fazer o pagamento.

A diferença entre os títulos está na destinação dos recursos. Como o nome indica, o LCI é destinado ao setor imobiliário, enquanto o LCA ao agronegócio.

CDB

O Certificado de Depósito Bancário (CDB) é um título flexível que oferece diferentes tipos de rentabilidade — prefixada, pós-fixada ou ambos —, contam com liquidez diária desde o começo do investimento ou podem ter período de carência.

Eles também contam com proteção do FGC, mas estão sujeitos ao IR com a alíquota, que varia conforme o prazo de resgate da seguinte forma:

  • 22,5% — até 180 dias;
  • 20% — entre 181 e 360 dias;
  • 17,5% — entre 361 e 720 dias;
  • 15% — acima de 720 dias.

LF

A Letra Financeira (LF) exige um valor maior de aplicação — mínimo de R$ 150 mil — e prazo mais longo de aplicação, a partir de 2 anos. Eles não contam com garantia do FGC e há incidência de 15% de IR.

LG

Esse é um tipo relativamente novo e, assim como a LCI, a Letra Imobiliária Garantida (LIG) também é destinada ao setor imobiliário e usufrui de isenção do Imposto de Renda.

O investimento não é protegido pelo FGC, mas há outro tipo de segurança: caso a instituição que emitiu o título falir ou não honrar o compromisso com seus clientes, os ativos financiados pela LIG podem ser liquidados para fazer o pagamento.

Quais são os benefícios desse tipo de investimento?

Existem benefícios que estão presentes nos títulos bancários de forma generalizada. Os principais deles são:

  • rentabilidade: boa parte desses investimentos é mais rentável que outras alternativas de renda fixa, como os títulos públicos;
  • proteção do capital: muitos títulos são protegidos pelo FGC. Os que não têm essa proteção ainda são considerados mais seguros pelo fato do calote e falência ser difícil de ocorrer em uma instituição financeira;
  • previsibilidade: os rendimentos são previamente estabelecidos nos títulos prefixados. No que diz respeito aos pós-fixados, o investidor pode acompanhar o índice atrelado para calcular os ganhos.

Ainda há outros títulos bancários que podem ser oferecidos pelo banco, mas eles são destinados à renda fixa e têm a segurança como uma de suas características marcantes. Antes de adquirir algum desses títulos, é importante ficar atento às condições da instituição emissora.

Estamos sempre atualizando nossas páginas nas redes sociais com novidades na área. Por isso, siga já nossas páginas no Instagram, Facebook e Twitter!




Sobre o autor