Blog

AçõesInvestidor Iniciante

O que é Teoria de Dow e quais seus fundamentos? Entenda!

Por Flávia Stephanini
13 abril 2022 - 14:51 | Atualizado em 24 março 2022 - 14:52
principais pontos sobre a teoria de dow
Créditos: GettyImages

Muitas pessoas estão direcionando suas economias para o mercado financeiro, deixando para trás aplicações tradicionais e com baixa rentabilidade, como a poupança, em busca de mais lucratividade e resultados. No entanto, é essencial saber como fazer isso. Sendo assim, pode ser muito interessante saber o que é Teoria de Dow e quais seus fundamentos.

Ela pode fazer parte da análise técnica, ajudando o investidor a compreender como o preço das ações varia ao longo do tempo e esclarecendo o comportamento por meio de recursos gráficos, que são bem mais fáceis de serem visualizados. Quer descobrir como fazer isso? Então, continue a leitura!

O que é a Teoria de Dow?

A Teoria de Dow, embora seja eventualmente aplicada até os dias de hoje, conta com mais de 100 anos de criação. Ela foi desenvolvida por ninguém menos do que Charles Dow, que deu origem ao Dow Jones, principal indicador financeiro norte-americano de ações, sendo amplamente utilizada para analisar os mercados mais voláteis.

Por isso, a teoria de Dow ainda é tão importante no cotidiano do trader, proporcionando mais suporte para o entendimento das movimentações e o estudo da variação dos ativos. Com uma visão mais aprofundada das oscilações e suas origens, é possível ter uma nova perspectiva e percepções mais adequadas no momento da economia e dos produtos de interesse.

Quais são seus fundamentos?

A Teoria de Dow tem alguns fundamentos, como o de que os índices refletem o comportamento do mercado como um todo, se ajustando rapidamente. Além disso, aborda que o mercado se comporta por meio de três tendências: a primária, de longo prazo, a secundária, que dura meses, e a terciária, de curto prazo, como semanas.

Também há o princípio da confirmação dos índices e médias, que demanda uma visão mais ampla do cenário e explica que o volume deve expandir na mesma direção da tendência principal. Por fim, outro fundamento é o de que uma tendência permanece até surgirem sinais de reversão, ou seja, até que outras forças atuem sobre ela, relembrando a primeira lei Newton.

Como usar a Teoria de Dow na análise técnica?

Agora que você já conheceu um pouco mais do conceito da Teoria de Dow e quais são seus fundamentos, deve estar pensando sobre como utilizá-la na prática. Ela pode ajudar na definição de investimentos, permitindo a visualização de recursos gráficos para tomar decisões mais assertivas e potencialmente lucrativas.

Para isso, basta buscar qual será o próximo movimento e tentar identificar padrões de comportamento, usando tendências primárias e prestando atenção para checar se o volume acompanha a propensão. No entanto, não se esqueça de que não se pode utilizar esse princípio para substituir uma análise fundamentalista, pois são conceitos diferentes.

Como você pôde ver, a Teoria de Dow é mais um dos bons recursos que podem ser usados pelo investidor inteligente para abalizar suas decisões e direcionar seu capital.

Gostou de aprender o que é Teoria de Dow? Então acesse nosso canal no YouTube e confira os vídeos que preparamos para você sobre o assunto!




Sobre o autor