Blog

Investidor Arrojado

Correlação de ativos: saiba o que é e qual a sua importância

Por Bruna Santos
24 fevereiro 2021 - 17:20
Correlação de ativos: saiba o que é e qual a sua importância

Alguns ativos financeiros acabam dependendo de indicadores econômicos semelhantes, dessa forma, à medida que ocorrem variações com esses indicadores, eles também variam de maneira similar.

Sendo assim, a correlação de ativos pode ser definida como uma medida estatística que vai relacionar qual é a correlação entre dois diferentes ativos e se ela é positiva ou negativa. É muito importante que, em sua carteira de investimentos, você possua ativos descorrelacionados, principalmente para direcionar melhor os investimentos em momentos de crise. A fim de entender mais sobre isso, leia este conteúdo até o final!

O que é a correlação de ativos?

A correlação de ativos é um parâmetro estatístico que vai medir a relação entre dois ativos distintos, podendo essa relação ser positiva ou negativa. Ela varia entre 1 e -1, sendo 1 uma correlação perfeita positiva — ou seja, os ativos variam de maneira perfeitamente igual — e -1, uma variação perfeita negativa — ou seja, os ativos variam de maneira inversa.

Como funciona a correlação de ativos?

Para entender como funciona a correlação de ativos, nada melhor que um exemplo prático: vamos supor que a correlação entre um ativo X e um ativo Y seja medida pelo valor de 0,8%. Logo, se o valor do ativo X aumentar 100%, o ativo Y terá um aumento de 80%, e se o valor do ativo X diminuir 100%, o valor do ativo Y vai diminuir 80%.

Entender essa correlação é muito importante porque ela não acontece apenas com ações e fundos imobiliários ou índices, sendo muito comum para empresas que trabalham com produtos que são denominados commodities. Dessa forma, a variação entre o preço do minério de ferro e o valor de mercado da Vale é positiva, pois, quanto maior o valor do minério de ferro, mais caro a Vale vai vender o seu minério e mais lucro ela vai obter a partir disso.

Quais os tipos de correlação?

Existem, basicamente, quatro tipos de correlação. Veja a seguir!

Correlação perfeitamente positiva

Acontece quando um ativo acompanha perfeitamente o outro. Dessa forma, a correlação entre os dois ativos é de 100%, ou seja, quando o ativo X varia 100% para cima ou para baixo, o ativo Y acompanha da mesma forma.

Correlação positiva

A correlação positiva equivale ao exemplo que foi dado no tópico deste conteúdo sobre como funciona a correlação de ativos. Dessa maneira, eles vão variar da mesma forma, porém com proporções distintas.

Correlação negativa

A correlação negativa é o inverso da positiva. Portanto, se a correlação entre o ativo X e o ativo Y é de -30%, e o ativo X tem uma valorização de 100%, o ativo Y vai ter uma desvalorização de -30%.

Correlação perfeitamente negativa

A correlação perfeitamente negativa acontece de maneira inversa à correlação perfeitamente positiva. Assim, a correlação entre os ativos é de -1, portanto, se o ativo X se valorizar 100%, o ativo Y vai se desvalorizar 100% no mesmo momento.

Como a correlação de ativos pode influenciar a carteira de investimentos?

Se você tiver, na sua carteira, ativos que tenham apenas a correlação positiva, em um momento de crise ou em que haja algum problema para aquela determinada classe de ativos, toda a sua carteira vai se desvalorizar.

Por exemplo, caso você possua apenas ações do setor elétrico e aconteça alguma medida regulatória ou que impacte negativamente as empresas desse segmento, toda a sua carteira de investimentos vai se desvalorizar, já que a correlação entre esses ativos é positiva.

Portanto, como foi possível apreender, é muito importante que você avalie montar uma carteira de investimentos que tenha ativos descorrelacionados. Isso porque ela provavelmente terá melhores performances, principalmente na crise.

Se você quer saber mais sobre correlação de ativos e quer contar com uma plataforma que possibilite que você tenha melhores rentabilidades na sua carteira de investimentos, entre em contato conosco!




Sobre o autor