Blog

Investidor Arrojado

Saiba como as ações do governo podem influenciar na Bolsa de Valores

Por Bruna Santos
27 abril 2020 - 09:45 | Atualizado em 09 outubro 2020 - 10:57
véspera de feriado

Não é novidade que as ações do governo podem fazer com que os ativos negociados na Bolsa de valores (B3) subam e desçam de valores, pois constantemente são noticiadas decisões governamentais que trazem mudanças nos preços de ações e cotações do dólar. Isso traz preocupações para qualquer indivíduo que negocie ativos do mercado financeiro, já que impacta nos seus ganhos patrimoniais e na sua qualidade de vida.

Para minimizar os riscos e maximizar os ganhos com seus ativos, é fundamental saber quais são as atitudes governamentais que podem impactar nos seus investimentos. Neste conteúdo explicamos a relação entre a bolsa de valores e a economia, quais são as ações do governo que trazem sobre o assunto e, no fim, o momento adequado para vender e comprar ativos! Confira a leitura!

Qual é a relação entre bolsa de valores e economia?

Primeiro é importante entender que o progresso de uma economia não é medido pela quantidade de dinheiro no mercado, mas pelo nível de produtividade do setor privado e a quantidade de itens obtidos pela população. Por exemplo, quanto mais pessoas possuírem automóveis, imóveis, roupas, alimentos de qualidade, remédios e outros bens, maior será a economia brasileira.

Se os bens forem produzidos em uma taxa maior que a criação de dinheiro, os preços dos bens de consumo cairão, o que aumenta o poder aquisitivo das pessoas. Os bens de produção — como máquinas e tecnologias — também terão seus valores reduzidos, aumentando a produtividade.

A mesma lógica se aplica às pessoas jurídicas, em uma economia crescente elas conseguem aumentar suas vendas e adquirem bens que as tornam mais produtivas. Com isso, a taxa de sobrevivência das empresas melhora, o número de organizações aumenta e suas ações se valorizam na bolsa de valores.

Quais são algumas ações que influenciam na bolsa de valores?

O governo pode tomar diferentes medidas para influenciar na economia, principalmente nos países onde os governantes têm amplos poderes sobre os índices, taxas, barreiras comerciais, inflação e outras questões relacionadas à economia, como acontece no Brasil.

Muitas ações freiam a economia do país, mas outras impulsionam o mercado brasileiro, trazendo vantagens aos investidores e à população em geral. Confira exemplos a seguir.

Venda de commodities

Commodities são mercadorias negociadas em um grande volume e o Brasil tem uma grande relação com elas, já que realiza grandes exportações de petróleo, minérios, soja, entre outros itens.

Quando o preço desses bens sobe no mercado internacional, os valores praticados pelas empresas brasileiras se tornam mais atrativos, o que faz com que as vendas aumentem. Além disso, traz maior possibilidade de vender commodities por um preço maior, maximizando os lucros.

Por exemplo, se o Estados Unidos colocar barreiras às transações da China, o primeiro adquirirá mais produtos do Brasil, beneficiando as empresas nacionais. Isso aumenta o valor das commodities e da Ibovespa, mas impacta nos valores praticados no mercado nacional. Será fundamental acompanhar notícias, bem como entender a relação entre o mercado internacional e a Bovespa.

Selic

O Sistema Especial de Liquidação e de Custódia (SELIC) é a taxa básica de juros para a economia brasileira, sendo utilizada como referencial para operações financeiras. Existem dois tipos de Selic que são determinados no país, sendo eles:

  • selic meta: o Comitê de Política Monetária (Copom) se reúne 8 vezes ao ano para discutir sobre a economia nacional e alterar a taxa de juros interna, câmbio, crédito etc.;
  • selic overnight (over): é calculada diariamente a partir da média ponderada das operações de compra dos títulos públicos.

Essa taxa impacta diretamente com investimentos de renda fixa e empréstimos bancários. Quanto ao mercado de ações e fundos a relação é indireta, pois esses investimentos estão atrelados ao desempenho das empresas e do mercado imobiliário.

Entretanto, a Selic afeta a performance da economia do país de forma generalizada, pois a sua queda é uma tentativa de aquecer o mercado nacional, fazendo com que as pessoas físicas e jurídicas tenham mais acesso a financiamentos.

Como também, uma atividade econômica maior facilita o pagamento de alugueis pelas empresas, diminui a inadimplência, valoriza cotas de fundos e permite que as empresas distribuam maiores lucros.

Faz-se importante saber que a redução da Selic também diminui o interesse pelos investimentos atrelados a ela (os de renda fixa), fazendo com que o número de investidores que operam no mercado de ações aumente consideravelmente, o que gera um aumento da demanda pelas ações e elevação de seus preços.

Ibovespa

Ibovespa (Índice Bovespa ou IBOV) é o indicador mais relevante para a bolsa de nosso país, já que ele representa a maioria do dinheiro que movimenta as ações da B3.

Esse índice funciona como uma espécie de termômetro do mercado. Se ele estiver em queda, por exemplo, as principais ações e bolsa de forma generalizada estão desvalorizando. O contrário também se aplica: as ações estão sendo valorizadas se ele estiver subindo.

Sua outra funcionalidade é a de definir ganhos de certos investimentos, pois é possível investir em fundos ou em contratos do futuro que estejam atrelados ao índice.

Outros índices

Existem outros índices que medem o desempenho médio de diferentes tipos de ações, sendo que eles apresentam se um determinado setor do mercado está crescendo ou não. Alguns desses índices são:

  • Small Cap (SMLL): composto pelas ações de menor valor do país;
  • Brasil 50 (IBrX 50): composto pelas 50 ações mais negociadas;
  • Brasil 100 (IBrX 100): composto pelas 100 ações mais negociadas.

Além de analisar os índices, é importante analisar as ações, acompanhar as tendências do mercado e se atentar às notícias.

Como identificar o momento ideal para negociar no mercado financeiro?

O primeiro aspecto a ser analisado é o objetivo do investidor. Pouco importará as oscilações diárias, semanais ou mensais dos ativos se ele deseja obter ganhos a longos prazos (mais de 5 anos).

Além disso, em um cenário em que as taxas de juros estão baixas, investir nos ativos de renda variável pode trazer mais rentabilidade aos investimentos. Entretanto, será preciso analisar o mercado de commodities, a Ibovespa e os demais índices para saber qual o momento ideal para investir em cada ativo.

Muitas ações do governo impactam o mercado financeiro, o imobiliário, a Bolsa de Valores etc. Mas ao obter conhecimento aprofundado no assunto e se manter atualizado no mercado, é possível maximizar seus ganhos escolhendo os investimentos que mais se aproveitam de cada decisão governamental.

Quer saber mais sobre o assunto e se manter sempre atualizado sobre as novidades do mercado? Então assine agora mesmo nossa newsletter! É gratuito!




Sobre o autor