Blog

Trader

Market making: descubra se essa é uma boa estratégia

Por Flávia Stephanini
04 fevereiro 2022 - 10:02 | Atualizado em 27 janeiro 2022 - 17:04
descubra o que é market making
O que são market making e como eles atuam.

O market making, ou formador de mercado, é um agente fundamental para garantir a liquidez no mercado de ações, opções e outros ativos da bolsa de valores, da renda fixa e demais mercados.

Ele foi criado em um momento em que a bolsa de valores tinha uma liquidez muito baixa, o que fazia com que o spread entre as negociações acabasse aumentando, e isso desfavorecia todos os investidores daquele determinado ativo.

Neste conteúdo, vamos explicar quem são os market making, como eles atuam, quais os riscos de seguir essa estratégia e se ela é uma boa alternativa. Para saber mais, leia até o final!

Quem são os market making e o que eles fazem?

No Brasil, os market making são corretoras, bancos e outras instituições financeiras que são contratados pelas empresas de capital aberto para exercer essa função, ou seja, manter as ofertas de compra e venda e dar liquidez a determinado ativo.

Como já ressaltado anteriormente, a análise do risco de liquidez é muito importante, seja para o mercado de renda fixa ou renda variável. Isso porque, se houver muita liquidez, ela vai garantir que o preço negociado seja o mais justo possível e que você não pague um spread alto na venda ou na compra de um determinado ativo.

Além disso, se o ativo que você estiver negociando tiver uma boa liquidez, você pode vendê-lo ou comprá-lo a qualquer momento, tendo facilidade de encerrar ou iniciar uma operação.

Dessa forma, esse ponto é um dos mais analisados pelos investidores antes de fazer qualquer tipo de investimento, e aqueles ativos que têm baixa liquidez costumam ser evitados por muito deles.

O market making é uma boa estratégia a ser seguida?

A empresa que atua como market making acaba ganhando dinheiro com essa operação a partir dos spreads das negociações que ela executa para garantir a liquidez naquele determinado ativo.

Já para o investidor, antes de analisar um determinado ativo, se ele identificar que existe um market making, vai ter a certeza de que haverá liquidez caso ele decida comprar ou vender em, praticamente, qualquer momento, sendo isso bastante positivo.

Como o mercado de opções é menos líquido do que o de ações, os investidores que fazem operações com opções acabam observando mais esse ponto e analisando se há um market making ou não para a maioria de seus trades.

Quais os riscos e cuidados ao seguir essa estratégia?

Os principais riscos e cuidados ao seguir a estratégia do market making estão relacionados a eventos específicos daquela determinada ação, como a interrupção da extração de minério de uma jazida por problemas logísticos. Isso pode afetar diretamente o resultado da empresa e, no momento em que os investidores descobrirem esse fato, pode haver muitos vendedores.

Dessa forma, se muitas pessoas estiverem vendendo as ações da empresa, o market making comprará para equilibrar a liquidez, mas o volume financeiro da ponta vendedora pode ser bem maior, e ele pode acabar tendo prejuízo caso as ações se desvalorizem naquele momento.

Quer ficar informado de todas as novidades sobre o mercado financeiro? Então assine a Fast Break e receba as notícias mais relevantes do momento!




Sobre o autor