Blog

Como operar vendido e ainda ter lucro?

Por Thiago Figueiredo
30 dezembro 2020 - 19:09
Como operar vendido e ainda ter lucro?

A Bolsa de valores é imprevisível para muitos, não é mesmo? No entanto, existem algumas alternativas para driblar certas situações e obter vantagens consideráveis, como lucrar com ações que estão em queda, por exemplo.

Pela lógica, um investidor só ganha quando vende uma ação por um valor acima do que comprou. Por outro lado, nem sempre essa operação é determinante para ganhar lucros. Por isso, saber como operar vendido tornou-se uma estratégia importante para quem acompanha as movimentações do mercado com atenção.

Apostar sempre na valorização do ativo é não entender que outras operações são necessárias, mesmo quando a ação está em queda. Porém, você sabe o que é operar vendido? Entenda a seguir!

Como operar vendido?

Mesmo sendo um iniciante ou um investidor experiente, é interessante conhecer com mais detalhes alguns termos que fazem parte do universo da Bolsa de valores. Operar vendido é um deles.

Basicamente, essa estratégia consiste em previsão: você vende uma ação que esteja em possível queda por um valor maior e depois a compra por um valor menor. Quando você acredita na queda do preço e aposta na desvalorização, é possível lucrar com a diferença. Porém, é claro que prever essa situação não é algo que acontece como um passe de mágica.

Como saber se uma ação está em queda?

Para aproveitar as oportunidades do mercado, mesmo nos períodos de queda, é indispensável observar o comportamento de uma ação para saber se ela subirá ou cairá. De forma geral, não trata-se de adivinhação, mas simplesmente de tomar decisões que são influenciadas por informações sólidas mostradas em gráficos.

Entretanto, saber interpretar o gráfico é o grande x da questão. Por isso, recorrer à análise de dados é o meio mais fácil de fazer previsões e estimativas de acordo com as estatísticas anteriores.

Vale lembrar que um gráfico mostra de forma visual a compra, venda e avaliação de um ativo no momento atual. Analisar a queda de uma ação em um curto período de tempo é o segredo para operar vendido e ainda obter lucro.

Para o trader, perceber essa oscilação é o mesmo que obter vantagem diante dos outros investidores, sendo essencial pensar em estratégias para se beneficiar desse movimento de queda. Isso mostra que analisar no gráfico somente ativos em alta é uma prática ruim e que pode comprometer os ganhos no final do pregão.

Porém, acompanhar os gráficos é a única maneira de prever a queda de ações? Claro que não! Ficar de olho no fluxo de mercado é obrigatório para saber o comportamento de um ativo, mas existem outros caminhos que ajudam a compreender essas mudanças.

Acompanhar as notícias da Bolsa de valores, por exemplo, também é um meio de identificar as tendências. Essa dica vale para as empresas que estão envolvidas em situações de risco, falência, escândalos, entre outras situações que vão influenciar no seu valor de investimento.

Não se esqueça de que esses fatores externos são decisivos no preço das ações e podem interferir nos seus rendimentos e estratégias, e não necessariamente nas informações obtidas nos gráficos em tempo real.

Qual a diferença entre operar vendido e operar comprado?

Uma operação funciona basicamente ao contrário da outra, dessa forma, ao operar vendido, a ideia é que o investidor ganhe com a queda do preço de um determinado ativo. Já quando o investidor utiliza a operação comprada, seu objetivo é comprar uma ação com um preço abaixo de seu valor e lucrar com a valorização desse ativo.

Essas estratégias podem ser realizadas de maneira simultânea, quando alguns dos investidores mais experientes usam estratégias, por exemplo, chamadas de operações long and short. Além disso, geralmente, numa carteira de investimentos, em diferentes ativos você está comprado e em outros você pode estar vendido, expondo-se a diferentes ativos e a diferentes formas de rentabilizar o seu dinheiro ao aplicá-lo na Bolsa de valores.

Qual a duração desse tipo de operação?

O tempo dessa operação é acordado entre o investidor que realiza o aluguel das ações e o investidor que toma essas ações emprestadas, podendo variar bastante.

Dessa forma, os pontos de entrada e saída devem ser definidos a partir da análise que o investidor utiliza, seja ela uma análise técnica, uma análise gráfica e da variação do mercado em favor da posição ou não. Cabe ressaltar ainda que é bem comum que ela dure cerca de 20 dias úteis, podendo variar para mais ou para menos.

Cuidados ao operar vendido

Um dos principais cuidados quando você opera vendido é que deve atentar-se às taxas cobradas pela corretora e realmente fazer uma boa análise daquele ativo para entender se vale o risco ou não de realizar esse tipo de operação nele. Afinal, como é uma operação considerada mais arrojada, é essencial que você faça a gestão de risco da sua carteira bem-feita para conseguir operar vendido da melhor maneira possível.

Outro ponto muito importante que deve ser observado está relacionado à volatilidade do ativo que você está operando vendido, pois, se sua volatilidade for elevada, vai estar correndo mais riscos, contudo terá um maior retorno ao utilizar esse tipo de operação. Dessa forma, entender a volatilidade é um ponto muito importante para que você saiba se vale a pena operar vendido naquela determinada ação ou se ela é muito volátil e não adequa-se ao seu perfil de risco.

Quais são os riscos de operar vendido?

Agora que você sabe como operar vendido e prever as situações de queda, chegou a hora de entender quais são os riscos que fazem parte dessa operação. Tratando-se da Bolsa de valores, os riscos são situações comuns, mas precisam ser controlados.

Nem todas as previsões são certeza de lucro. Você pode prever uma queda, realizar a compra e depois adquirir a mesma ação por um preço ainda maior, saindo no prejuízo. Devido à volatilidade do mercado, os ativos podem demonstrar determinado comportamento e, em seguida, agirem ao contrário, surpreendendo a todos.

Entender esse dinamismo é uma característica integrada a qualquer estratégia. Desse modo, parametrizar um valor de prejuízo também é importante para enfrentar as perdas e realizar uma boa gestão de riscos.

Para fugir dessa perda na recompra de ações ou se desfazer de uma ação de grande potencial, a sugestão é recorrer novamente à habilidade e análise técnica, prevendo os riscos e prejuízos futuros nas operações, caso o mercado comporte-se de maneira inesperada.

Além disso, a plataforma de negociação também é uma alternativa que ajuda na parametrização do prejuízo. Com um simples comando as operações poderão ser interrompidas quando o valor de perda estipulado é atingido. Mas isso não é tudo.

Não começar arriscando alto, dominar bem o home broker e ter uma carteira de ativos equilibrada também são dicas que podem reduzir os prejuízos quando o assunto é controlar os riscos para operar vendido.

Boas táticas

As boas táticas estão associadas principalmente à gestão de risco da carteira de investimentos, pois, geralmente quem utiliza operações vendidas não faz só esse tipo de operação e não a utiliza apenas com um ativo. Assim, se você quer ser um trader de sucesso, realizar a gestão de risco da sua carteira de acordo com as operações que executa e sempre estudar para adquirir mais conhecimento é o ideal.

Além disso, o indicado é que você não aposte tudo em apenas uma operação, pois, se ela não for de acordo com o que estava planejando, isso pode reduzir bastante o dinheiro que aplicou nela. Portanto, deve diversificar suas operações em diversas classes de ativos para garantir o sucesso e a maior rentabilidade de seus investimentos.

Como funciona a margem de garantia?

Se você quer saber como operar vendido também precisa entender sobre a margem de garantia. Esse termo corresponde ao valor inicial que todo investidor precisa ter para realizar a compra de um ativo. Para muitos ela funciona como uma espécie de precaução para pagar os possíveis prejuízos que você poderá ter em suas operações.

Outros pontos que devem ser observados estão ligados à volatilidade da Bolsa, ou seja, da separação dos preços. Quando uma ação tem o valor oscilante, maior será a margem de garantia exigida na aplicação. A mesma regra vale para a liquidez do ativo, só que ao contrário. Caso a liquidez seja maior, a margem de lucro será menor.

Porém, o que acontece se a sua carteira de ações estiver vazia? Essa situação chama-se venda a descoberto e refere-se aos traders que realizam a venda de ativos sem tê-lo em carteira. Para aprovar o investimento é necessário ter uma garantia para dar continuidade à operação.

Como mostramos neste post, saber como operar vendido é necessário para tornar-se um investidor experiente que acompanha as movimentações do mercado e aproveita as oportunidades que ele oferece, mesmo em situações de queda de ações. Agora que você aprendeu mais sobre esse assunto, sabe como prever a desvalorização de um ativo, lidar com os riscos e ter uma margem de garantia, ficou mais fácil obter lucros em suas operações na Bolsa de valores.

Para ficar por dentro de todas as atualizações, não deixe de curtir agora mesmo a nossa página no Facebook.




Sobre o autor

Recomendadas para você