Blog

Trader

11 tipos de padrões gráficos para usar no dia a dia do trader

Por Bruna Santos
22 junho 2020 - 11:27 | Atualizado em 22 junho 2020 - 12:25

Para realizar uma boa análise técnica e entender melhor o comportamento do mercado perante um ativo, é crucial saber identificar os principais padrões gráficos. Muitos traders são céticos em relação à análise gráfica, mas se trata de um procedimento crucial para ter uma visão completa do mercado.

Se você quer aprimorar suas táticas de análises de mercado, continue lendo este artigo para saber o que exatamente são os padrões gráficos, qual é a importância de entendê-los, quais são os principais e como melhor interpretá-los. Boa leitura!

O que são os chamados padrões gráficos?

Padrões gráficos consistem em um conjunto de elementos que compõem a análise técnica e que se repetem constantemente no histórico de um ativo ou mercado.

São representações visuais da mudança de preço de um ativo e, geralmente, são fáceis de identificar e podem ser usados por diferentes tipos de traders, como position, swing ou day traders e scalpers. Ao encontrá-los, eles indicam três tipos de comportamento do mercado:

  • de continuação: o preço do ativo continuará o seu presente curso;
  • de reversão: o valor do ativo tomará um rumo contrário ao atual;
  • bilateral: o preço poderá ir para qualquer lado, podendo aumentar ou diminuir.

Qual é a importância de entender como eles funcionam?

Diferentes tipos de investidores e traders utilizam os padrões gráficos para projetar os movimentos futuros do mercado. Basicamente, eles serão capazes de:

  • encontrar tendências: você saberá qual é o comportamento do mercado em uma determinada situação, permitindo prever suas atitudes;
  • identificar oportunidades: ao se deparar com situações encontradas anteriormente, o trader poderá aproveitá-las e obter grandes lucros;
  • minimizar exposições: os padrões tornam o estudo sobre os ativos mais completo e diminuem os riscos de mercado.

Ao tomarem decisões baseadas na análise dos padrões gráficos, os traders podem negociar de forma agressiva (com menos conformação) ou conservadora (com mais conformação). Eles devem calcular a relação entre o risco e a recompensa das negociações para elevar seus ganhos.

Quais são os tipos de gráficos?

Existem diferentes gráficos que podem utilizados pelos investidores para analisar o mercado. Eles retratam o mesmo cenário, porém diferenciam na quantidade e tipo de informações.

Além disso, não há um gráfico melhor que o outro, sendo preciso estudá-los para saber qual é a melhor opção para seu trabalho.

Linha

Gráfico mais básico que liga os valores dos preços de fechamento para cada ação por linhas. Há uma variação denominada “Área e Barras” que traz projeções gráficas

Barras

Foi um dos primeiros gráficos usados pelos traders ocidentais. Há linhas verticais com apêndices laterais que indicam valores de abertura, máximos, mínimos e fechamento.

OHLC

Esse é um tipo mais complexo que demonstra preços de abertura (O – open), máximos (H – high), mínimos (L – low) e preço de fechamento (C – close). Os traços verdes indicam subida de valor, enquanto os vermelhos, queda.

Renko

Renko significa tijolo em japonês e é um gráfico que demonstra valores por blocos. Ele tem foco na variação de preço, demonstram movimentos ascendentes e descendentes por linhas inclinadas em 45 graus e desconsidera tempo.

Candle ou Candlestick

Também chamado de vela ou candle, esse é um gráfico de barra que mostra o que ocorreu com os preços em um determinado período. Para interpretar esse padrão adequadamente, é preciso entender os elementos que compõem cada uma das velas:

  • período: cada vela representa um determinado espaço de tempo, podendo ser de minutos, horas, dias, semanas, meses ou até anos;
  • formato: o corpo da vela informa fechamento e abertura, enquanto os pavios demonstram máximos e mínimos;
  • cores: candles verdes indicam altas, e as vermelhas apontam baixas.

Heikin-Ashi

Heikin significa equilíbrio enquanto Ashi quer dizer barra do preço. Esse é um gráfico similar ao candlestick, mas que elimina parte de suas irregularidades. Ele permite visualizar melhor uma tendência de baixa ou alta e movimento de consolidação.

Ponto e Figura

Gráfico temporal que foca nos preços durante o preço, mudando conforme oscilações do mercado. Ele apresenta prazo de curto ou curtíssimo prazo, por isso geralmente é usado em operações de Day Trade.

Bolha

Aqui os dados são substituídos por bolhas, que podem aumentar de tamanho conforme os valores das ações, participações do mercado, entre outras informações.

RRG

RRG é uma sigla para Relative Rotation Graphs e se trata de uma ferramenta que permite que os investidores comparem seus rendimentos com o principal benchmark. Ele permite identificar setores de baixo e alto desempenho em relação ao índice.

Quais são os tipos de padrões gráficos?

Dentro dos gráficos há diferentes padrões que demonstram o comportamento do mercado ou dos preços. Neste tópico explicamos os principais que podem ser identificados nos gráficos de linhas, barras ou candlesticks. Confira-os.

1. Cabeça e ombros

Esse é um padrão de reversão geralmente formado em uma tendência de alta, apontando uma queda. Ele é formado por uma cabeça (o pico central e maior), dois ombros (picos menores ao lado da cabeça) e um pescoço, que é uma linha que conecta os três elementos no gráfico de linha.

A linha de pescoço pode ser mais inclinada para cima ou para baixo, mas o sinal de reversão será mais forte quando a inclinação estiver mais para baixo.

Também existe o que é chamado de cabeça e ombros invertidos, sendo o oposto do comum. Ele acontece no final de uma tendência de queda e indica reversão.

2. Duplo topo

Geralmente formado no final de uma tendência de alta, há dois picos seguidos de altura similar (existindo uma cova entre eles). Sua existência demonstra uma possibilidade de reversão para queda.

3. Bandeiras

Ele é identificado por 3 picos e 3 covas e demonstra o oposto do duplo topo, ou seja, acontece ao final de uma tendência de queda e indica reversão.

4. Triângulos

Triângulos são padrões de continuação e são facilmente identificados. Consistem em aumentos e reduções de preços que geram três espécies de triângulos:

  • simétrico: linhas para cima e para baixo fazem ângulos iguais;
  • ascendente: os preços são empurrados para cima;
  • descendente: os preços são levados para baixo.

5. Cunhas

São similares aos triângulos, mas suas inclinações são significativamente maiores. Esse padrão também pode ser de dois tipos:

  • ascendente: formado quando o preço é consolidado para cima. Indica reversão se formado depois de uma tendência de alta e continuação depois de uma queda;
  • descendente: o preço é inclinado para baixo. Demonstra reversão após uma queda e continuação depois de altas.

6. Retângulos

Os aumentos e reduções de preço permanecem equilibrados por um longo intervalo de tempo. Ele pode indicar tanto reversões quanto continuações.

7. Barra elefante

A elephant bar (ou barra elefante) é uma vela densa, comprida e sem pavios. Ela pode indicar tanto o começo quanto o fim de uma tendência conforme o tipo de vela:

  • vela de ignição: início de um forte movimento;
  • vela de exaustão: aparece no meio de um movimento, indicando o seu fim.

8. Martelo

O hammer (ou martelo) é um dos principais padrões que demonstram uma exaustão e o começo de uma reversão. É possível identificá-lo quando a vela se assemelha a um martelo — sua vela é duas ou mais vezes maior que seu corpo. Também há dois tipos:

  • comum: reverte-se em uma tendência de alta;
  • invertido: reverte-se em uma tendência de baixa.

9. Engolfo

Também de reversão, ele é encontrado quando uma candle vai contra uma tendência e a cobre inteiramente. Seus tipos são:

  • bullish engulfing (de alta): acontece depois de uma tendência de alta;
  • bearish engulfing (de baixa): surge após uma tendência de baixa.

10. Doji

Doji é similar a uma cruz ou sinal de adição, pois o corpo da vela é minúsculo. Esse padrão mostra uma indecisão do mercado, sendo que tanto compras quanto vendas estão fortes. Ele pode desconfigurar uma tendência ou até zerar uma operação.

Como interpretar melhor os padrões gráficos?

Há duas formas de fazer uma análise gráfica: a clássica e a nova. A primeira se contenta em observar os desenhos e entender os motivos que geraram sua formação, de modo que os traders buscam entender como os ativos chegaram a certo preço.

As novas interpretações consistem em analisar o comportamento dos grandes players do mercado, que são os negociadores que movimentam grande quantidade de capital.

Para fazer ambos os tipos de interpretações, é importante usar uma plataforma de negociação que disponha de análises gráficas completas. A Fast Trade inclui indicadores, ferramentas de análises, estudos gráficos, tape reading, simulador de investimentos e outros recursos para aprimorar as negociações.

Todo trader de sucesso deve conhecer os principais padrões gráficos e como interpretá-los, porém, lembre-se de usar um sistema completo e que disponibilize outras formas de análises para ter uma visão abrangente do mercado.

Se você quer utilizar gráficos no campo prático, veja nosso post que explica como operar no gráfico pelo simulador Fast Trade!




Sobre o autor