EmpresasHome

XP eleva BRF de neutra para compra e aumenta alvo de JBS; peste suína, perspectivas a favor do setor

Por TradersClub
20 agosto 2019 - 11:53
BRFS3

A XP Investimentos elevou a recomendação da BRF de neutra para compra, assim como seu preço-alvo, e também aumentou o alvo de JBS – preferida do setor -considerando que os impactos positivos da peste suína na China ainda não estão embutidos nos preços e a perspectiva de resultados melhores de forma geral.

“Com mais visibilidade sobre a geração de caixa para frente, mudamos nossa recomendação para a BRF de neutro para compra – novo preço-alvo de R$47 ante R$33 anteriormente. Há quem argumente que as ações dos frigoríficos nos patamares atuais já refletem o cenário positivo, mas, em nossa visão, há mais por vir”, explica a analista Betina Roxo em relatório desta terça-feira. Ela destaca ainda que a alavancagem da companhia, medida pela dívida líquida em relação ao EBTIDA, caiu de 5,6 vezes no primeiro trimestre, para 3,7 vezes no segundo, e deve cair ainda mais.

No entanto, a preferida da XP Investimentos é a JBS, que só neste ano acumula alta de 149% no Ibovespa. A preferência é justificada principalmente pela “operação sólida”. O preço-alvo foi elevado de R$27 para R$37, considerando que a peste suína na China ainda não está precificada no papel. A perspectiva de um IPO nos Estados Unidos também é considerada por Roxo como ponto positivo: “poderia destravar valor para a empresa e, na nossa visão, impulsionar uma reclassificação de seus múltiplos”.

Quanto à Marfrig, foi mantida a recomendação de compra, embora a analista reconheça que, após os resultados do segundo trimestre, esteja mais desafiador atingir o fluxo de caixa libre estimado para 2019. O preço-alvo é R$10.

Pesam a favor do setor no Brasil, ainda, a perspectiva de recuperação da economia doméstica, a expectativa de que nova plantas sejam habilitadas a vender para a China – o volume exportado poderia aumentar em 40%, segundo a BRF, e de 25 a 20% para a JBS – e o incêndio em uma planta da concorrente Tyson Foods, nos Estados Unidos. Este último fator beneficia principalmente JBS e Marfrig, que têm operações relevantes nos EUA.

Do lado negativo, há os planos de desinvestimento do BNDES – detentor de 21,3% da JBS e de 33,8% da Marfrig – que poderia pesar na performance das ações.

Às 11h40, as ações ON da JBS recuavam 1,07%, a R$28,59. Os papéis ON da BRF caíam 0,58%, a R$38,04. As ações ON de Marfrig tinham queda de 0,52%, a R$7,61.


Sobre o autor