Empresas

Via Varejo (VVAR3) reporta lucro líquido de R$ 1 bi e sólida posição de caixa em 2020

Por Fast Trade
03 março 2021 - 10:03 | Atualizado em 03 março 2021 - 10:09
Via Varejo (VVAR3) – Negociação com o Grupo Pão de Açúcar

A Via Varejo (VVAR3) reverteu o prejuízo de R$ 1,4 bilhões apurado em 2019 e lucrou R$ 1 bilhão em 2020. O resultado que consolidou a entrega do turnaround representou uma margem líquida de 3,5%, conforme o press release da Companhia.

+ Guia completo de como ter sucesso nas operações de day trade

Entre os destaques, a virada foi impulsionada pelo resultado da dona da Casas Bahia e do Ponto Frio no 4T20. Do mesmo modo, a empresa reverteu o prejuízo computado no mesmo período do ano imediatamente anterior, de R$ 875 milhões.

Já em 2020, a Via Varejo lucrou R$ 336 milhões entre outubro, novembro e dezembro. Vale destacar que esse montante inclui efeitos não recorrentes, como créditos fiscais e previdenciários, que totalizaram R$ 127 milhões no trimestre.

Além disso, a Companhia reportou lucro líquido operacional de R$209 milhões no 4T20 e margem líquida operacional de 2,2%. Como resultado, o lucro operacional da Via Varejo somou R$167 milhões no consolidado de 2020.

“Os números de 2020 são resultado da nossa determinação e do sucesso da estratégia adotada, que representa um importante passo rumo à inovação, à tecnologia e ao futuro além do varejo”, comentou a empresa.

Acima de tudo, a varejista atrelou ao desempenho do ano passado o “forte reconhecimento” de suas marcas, ativos (loja & logística) “e principalmente nossa gente que fez toda a diferença”.

Nesse sentido, a Companhia destacou seu desempenho no âmbito digital que resultou em importantes ganhos de market share.

Vendas e receita da Via Varejo

As vendas consolidadas no canal digital, por exemplo, responderam por cerca de 50% do GMV total. As vendas brutas totais (GMV, na sigla em inglês) somaram R$ 12,6 bilhões no 4T20, alta de 31,4% no comparativo anual.

Por sua vez, as vendas digitais dispararam 110,5%, para R$ 5,6 bilhões, representando 46,6% no GMV.

Ademais, a Via Varejo apurou uma receita líquida de R$ 9,47 bilhões (+24,4% ante o 4T19). Assim também, a Companhia viu sua receita líquida crescer 12,7%, para R$ 28,9 bilhões, na passagem do consolidado de 2019 para 2020.

+ Guia de A a Z de como se tornar um trader: baixe gratuitamente!

A companhia também contabilizou margem bruta de 30,5%, +1,4 ponto percentual (p.p.) no comparativo anual.

Em decorrência das melhorias nos prazos de entrega, assim como da maior assertividade comercial e “robusta” base de clientes e ganhos de participação de mercado, a receita bruta consolidada da Via Varejo cresceu 27%, para R$ 11,3 bilhões, na passagem do último trimestre de 2019 para o mesmo período de 2020.

O resultado também foi impulsionado pelo desempenho do on-line, que elevou a receita em 112% no 4T20 (a/a), para R$ 3,8 bilhões.

Ebitda e caixa

Outro destaque da varejista é o forte avanço do EBITDA que, de acordo com o release da empresa, confirma estratégia de crescimento com rentabilidade.

Em primeiro lugar, o EBITDA ajustado multiplicou por 2,7x entre 2019 e 2020, para R$ 2,9 bilhões. Ao mesmo tempo, a Companhia apurou uma margem EBITDA ajustada contábil de 10,1%, + 5,9 p.p.

+ Guia do Investidor Iniciante: acesse o material gratuito.

Já no 4T20, o EBITDA ajustado reverteu o resultado negativo de R$ 35 milhões no 4T19 e disparou para R$ 545 milhões no 4T20. Por fim, a Via Varejo declarou ter encerrado 2020 com sólida posição de caixa.

Primeiramente, o caixa incluindo recebíveis não descontados e ajustado pelas antecipações aos fornecedores totalizou R$ 9,3 bilhões em dezembro do ano passado.

Além disso, a empresa ressaltou a forte geração de caixa operacional de R$ 1,4 bilhão em 2020. Veja mais detalhes.

Antes de mais nada, leia também:

“Para mim, estatal boa é a que foi privatizada”, afirma Guedes

Criação de fundos de investimentos para agroindústria vai à sanção presidencial


Sobre o autor