EconomiaHome

Vendas no comércio caem 0,6% no Brasil em abril, diz IBGE

Por Eloiza Amaral
12 junho 2019 - 10:33
O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que mede a variação da cesta de compras de famílias com renda até cinco salários mínimos, teve deflação (queda de preços) de 0,05% em setembro

As vendas no varejo recuaram 0,6% em abril no Brasil, em comparação ao mês de março, e registou o pior resultado para o mês desde 2015. As informações foram divulgadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quarta feira (12).

Frente a março de 2018, o comércio varejista avançou 1,7%, após recuo de 4,4% em março, e no acumulado do primeiro quadrimestre houve alta de 0,6%.

O volume de vendas do comércio varejista ampliado, que inclui as atividades de Veículos, motos, partes e peças e de Material de construção, ficou estável (0,0%) em relação a março de 2019, após crescer 1,1% em fevereiro. Na comparação anual o volume de vendas aumentou 3,1% e acumulou crescimento de 2,5% em 12 meses.

Cinco das oito atividades analisadas tiveram queda de março para abril, na série com ajuste sazonal, com destaque para Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (-1,8%) e Tecidos, vestuário e calçados (-5,5%).

Os resultados ainda foram seguidos por seguidos por Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (-0,7%), Outros artigos de uso pessoal e doméstico (-0,4%) e Equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (-8,0%).

As atividades que tiveram alta nessa comparação foram Móveis e eletrodomésticos (1,7%), Combustíveis e lubrificantes (0,3%) e Livros, jornais, revistas e papelaria (4,3%).

O país tem muitos desempregados e um mercado de trabalho estagnado. ”Essa situação dificulta o crescimento da massa de rendimentos, que é o que impulsiona o consumo”, afirmou a gerente da pesquisa, Isabella Nunes.

Os resultados de cada segmento em abril foram:

Combustíveis e lubrificantes0,3%
Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo-1,8%
Tecidos, vestuário e calçados-5,5%
Móveis e eletrodomésticos1,7%
Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos e de perfumaria-0,7%
Livros, jornais, revistas e papelaria4,3%
Equipamentos e material para escritório, informática e comunicação-8%
Outros artigos de uso pessoal e doméstico-0,4%
Veículos, motos, partes e peças0,2%
Material de construção1,4%

Sobre o autor