Agronegócio

VBP do Brasil deve superar R$ 1 trilhão em 2021 pela 1ª vez

Por Fast Trade
15 dezembro 2020 - 08:00 | Atualizado em 15 dezembro 2020 - 09:01
VBP

O Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) do Brasil pode bater o recorde em 2021 e somar R$ 1,025 trilhão. De acordo com o Ministério da Agricultura, essa projeção preliminar leva em consideração um bom desempenho nas lavouras.

Assim também, conforme destacado pela Pasta, a estimativa prevê um bom desempenho para o setor de carnes no próximo ano. Em primeiro lugar, os números preliminares do Mapa indicam um crescimento em relação a este ano de 19,2% para as lavouras.

Do mesmo modo, a projeção é que a pecuária cresça na mesma base de comparação (+15,1%). Adicionalmente, os levantamentos divulgados pela Conab e IBGE mostram boas previsões de safras para 2021.

Além disso, todas as carnes (bovina, suína, frango) indicam recorde de VBP em 2021, de acordo com o coordenador geral de Avaliação de Políticas e Informação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, José Garcia Gasques.

Dentre os produtos que devem puxar o VBP do próximo ano, destaque para o milho e para a soja. “Além desses, cacau, arroz, trigo, carne bovina e carne suína”, disse a pasta em nota.

Só para ilustrar, o faturamento previsto para a soja é de R$ 328,6 bilhões. Na sequência, o Mapa estimou um faturamento de R$ 112,8 bilhões para o milho e de R$ 139,9 bilhões para as carnes.

VBP de 2020 se aproxima dos R$ 886 bilhões

Por fim, o VBP estimado para 2020, baseado nas informações de novembro, é de R$ 885,8 bilhões. Conforme publicação do Mapa, o saldo é 15,1% superior ao Valor Bruto da Produção Agropecuária de 2019.

No ano passado, o VBP apurado foi de R$ 769,8 bilhões, segundo o Ministério da Agricultura. Não apenas as lavouras aumentaram 19,2%, mas também a pecuária avançou 7,3%.

Ademais, sete produtos das lavouras puxaram o VBP deste ano na comparação anual: amendoim (36,3%), arroz (35,5%), cacau (23,7%), café (39,8%), milho (20,9%), soja (40,4%) e trigo (48%). Na pecuária, os destaques são carne bovina (14,5%), suína (23,3%) e ovos (10,1%).

Na avaliação de Gasques, esses resultados foram, em geral, obtidos pelos preços, mas também pelas exportações. “O mercado internacional mostra-se atrativo devido à taxa de câmbio favorável e ao crescimento da demanda mundial de produtos da agropecuária”, explicou.

Confira a publicação do Mapa sobre o VBP de 2020 e 2021.


Sobre o autor