Economia

Varejo restrito sobe 1,2% em julho e atinge o maior patamar histórico

Por Fast Trade
10 setembro 2021 - 10:59 | Atualizado em 10 setembro 2021 - 13:16
Ibovespa futuro sobe com varejo

O índice de vendas no varejo restrito, na série com ajuste sazonal, avançou 1,2% em julho, na comparação mensal. Os dados são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em pesquisa do Valor Data, as margens esperadas estavam entre -0,6% e 1,1% com mediana de 0,5%. Dessa forma, o resultado encontrado mostrou-se acima do maior valor cogitado pelo mercado.

Esse foi o quarto crescimento seguido. Sendo assim, o índice atingiu o maior patamar histórico, desde a sua criação em 2000.

Na comparação anual, julho de 2021 teve expansão de 5,7% em relação ao mesmo mês de 2020. Finalmente, em 12 meses, o índice acumula alta de 5,9% e em 2021 o avanço é de 6,6%.

+ O que ninguém te conta sobre os investimentos em ações

Em relação à receita nominal, onde não há o desconto da inflação, o crescimento foi de 2,2% em julho em relação a junho. No mesmo contexto, mas no comparativo anual, o índice teve alta de 19,7%.

Do mesmo modo, o índice de vendas do varejo ampliado superou a margem superior das expectativas. Houve crescimento de 1,1% em relação à amplitude que ia de -1,9% até 1,0% com mediana de 0,6%.

Em relação ao mesmo mês no ano de 2020, o varejo ampliado teve aumento de 7,1%. Por fim, a receita nominal expandiu 2,3% na comparação mensal e 22,4% na anual.

Vendas no varejo por atividades

Entre as atividades que tiveram alta nas vendas do varejo entre julho e junho restrito, estão artigos de uso pessoal e doméstico (19,1%), tecidos, vestuário e calçados (2,8%), equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (0,6%).

Além disso, houve alta também em hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (0,2%) e artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (0,1%).

Por outro lado, houve recuo em livros, jornais, revistas e papelaria (-5,2%), móveis e eletrodomésticos (-1,4%) e combustíveis e lubrificantes (-0,3%).

+ Guia de A a Z de como se tornar um trader

Já no varejo ampliado, a receita de veículos, motos, partes e peças teve aumento de 0,2%. Material de construção, contudo, teve contração de 2,3%.

Entre as unidades da federação, Rondônia foi a que mais teve aumento do índice (17,5%). Minas Gerais, por outro lado, foi o destaque com o menor nível de vendas no varejo restrito (-2,1%).

No mesmo sentido, Rondônia também foi a unidade da federação com maior variação no índice no comparativo anual com 35,8%. Já o Amazonas teve a menor variação com -9,7%.

Quer ficar informado de todas as novidades sobre o mercado financeiro? Então participe do Canal do Fast Trade no Telegram acessando o link: https://t.me/plataformafasttrade

Varejo restrito sobe 1,2% em julho e atinge maior patamar histórico

Leia também:

Reposicionamento do Presidente e pauta dos caminhoneiros no panorama político

Vale diminui capacidade produtiva para 2022 e anuncia “briquete verde”

Com IPCA acima do previsto, mercado chega a considerar Selic a 10%


Sobre o autor