AçõesHome

Tensões EUA-China pressionam, mas Ibovespa defende os 94 mil; dólar sobe a R$3,76

Por Pablo Vinicius Souza
17 janeiro 2019 - 12:31

O pregão de hoje começou em tom negativo, com o ritmo dos negócios sofrendo um forte impacto com o aumento das tensões entre EUA e China no caso da Huawei. O governo norte-americano está acusando a companhia de roubar propriedade intelectual pertencente a um parceiro de negócios e, por isso, instaurou uma investigação criminal para apurar o caso. Sem maiores novidades no cenário interno, o Ibovespa operava executando um movimento de correção, em linha com o mau humor do ambiente externo.

Baixe o E-book O Guia Completo de Como Ter Sucesso Nas Operações de Day Trade

Ás 12h18 (horário de Brasília), a Bolsa brasileira registrava queda de 0,08%, aos 94.320 pontos e um giro financeiro de R$2,178 bilhões. O dólar comercial subia forte, em valorização de 0,88%, sendo cotado a R$3,76, com o mercado de câmbio passando por um momento de ajuste de posições. José Faria Junior, o diretor da Wagner Investimentos, explicou que os investidores esperavam que a divisa americana chegasse a R$3,65, mas como não ocorreu, o patamar de R$3,73 passou a ser um “stop” que sinaliza quando é o momento de desfazer as posições compradas em moeda.

Os contratos de juros futuros de longo prazo operavam em alta, em consonância com o clima de maior aversão ao risco e menor exposição predominante nos mercados internacionais. O DI com vencimento para abril/2019 caía 0,39%, sendo vendido a 6,41% (6,43% no ajuste anterior), o DI para março/2021 aumentava 0,52%, sendo negociado a 7,67% (7,64% no ajuste anterior) e o DI para junho/2024 avançava 0,45%, sendo comercializado a 8,94% (8,90% no ajuste anterior).

Baixe o Infográfico: 5 motivos – Por Que Investir na Bolsa Agora É Um Bom Negócio

As principais blue chips apresentavam perdas e ganhos, permanecendo próximas à estabilidade. Os ADRs (American Depositary Receipt) da Embraer foram rebaixados para equalweight (exposição em linha de crédito com o mercado) pela instituição Morgan Stanley, com o preço caindo de US$24,50 para US$23,70. Além disso, as projeções de lucro operacional da estatal para 2018 foram drasticamente reduzidas para US$200 milhões, ante estimativas de US$270 a US$355 milhões. Os dois fatos contribuíram para o mau desempenho das ações na sessão de hoje.

Relatório gratuito – Petrobras: O petróleo é nosso

COMPANHIAS ESTATAIS
Petrobras (PETR3)+0,18%Vale (VALE3)0,32%
Petrobras (PETR4)+0,12%Embraer (EMBR3)-1,16%
Eletrobras (ELET3)+1,79%Banco do Brasil (BBAS3)+0,02%
Eletrobras (ELET6)+1,25%Cemig (CMIG4)+2,27%

Relatório gratuito – Banco do Brasil: O gigante acordou

SETOR BANCÁRIOSETOR SIDERÚRGICO
Itaú Unibanco (ITUB3)-1%Usiminas (USIM3)+0,75%
Santander (SANB11)+0,66%CSN (CSNA3)-0,30%
Bradesco (BBDC3)-0,72%Gerdau (GGBR4)-0,67%

Sobre o autor