Empresas

TCU aprova segunda etapa do processo de privatização da Eletrobras

Por Fast Trade
19 maio 2022 - 06:36 | Atualizado em 19 maio 2022 - 08:28
Eletrobras
Eletrobras vai protocolar oferta pública de ações e ADRs no 2º trimestre

O Tribunal de Contas da União (TCU) aprovou a segunda etapa do processo de privatização da Eletrobras (ELET3; ELET6). A votação ocorreu ontem, quarta-feira (18), e o resultado foi obtido por sete votos favoráveis e um contrário. 

Agora, o próximo passo é protocolar o pedido de realização da oferta pública na Comissão de Valores Mobiliários do Brasil (CVM) e dos Estados Unidos (SEC).

No início da sessão, o ministro Vital do Rêgo apresentou proposta de voto revisor. O objetivo, portanto, era suspender a análise até a conclusão da fiscalização dos procedimentos adotados pelo estatal para provisionamento de contingências de demandas judiciais do empréstimo compulsório de energia. Contudo, a corte não apoiou.

+ Você sabe montar um plano de trading? Aprenda o passo a passo neste vídeo!

Vital disse ainda que a análise da segunda fase detectou “erros grosseiros de contabilidade” e “erros de apreciação mínima necessária de regulamentos e regimentos”. Além disso, apontou ilegalidade em dividendos que não teriam sido pagos à companhia na soma de R$ 2,7 bilhões.

“Caso essa ilegalidade permaneça, teremos a privatização da Eletronuclear e um prejuízo de R$ 730 milhões”, disse o ministro Vital do Rêgo.

Aroldo Cedraz votou favorável à continuação do projeto, mas determinou a revisão do cálculo pelo governo para definir o preço por ação. Ademais, recomendou a inclusão nos novos contratos de concessão a previsão de aditivos para a remuneração da União em futura venda da potência de energia das usinas.

Modelo de privatização

Hoje, a União detém 72,33% do capital votante da Eletrobras, a privatização pretende reduzir essa fração a 45% por meio da emissão de novas ações.

+ Derivativos: o guia definitivo para começar a investir

Com efeito, no novo modelo, cada acionista só poderia votar com 10% do capital, não importando o tamanho da participação. Ou seja, a Eletrobras não teria controlador definido. Analistas do Goldman Sachs afirmaram que a privatização deve destravar entre R$ 65 bilhões e R$ 70 bilhões aos acionistas da estatal.

Quer ficar informado de todas as novidades sobre o mercado financeiro? Então participe gratuitamente do Canal do Fast Trade no Telegram!

TCU aprova segunda etapa do processo de privatização da Eletrobras

Leia também:

Dólar fecha a R$ 4,98 com clima tenso no exterior devido ao cenário de juros


Sobre o autor