EmpresasHome

Saraiva revela prejuízo de R$ 17,5 milhões em julho 

Por Bruna Santos
04 setembro 2019 - 11:07

Em recuperação judicial, a Saraiva amargou um prejuízo de R$ 17,5 milhões em julho deste ano, segundo o Valor Econômico.

O montante representa um salto de 7,1% quando comparado aos R$ 16,3 milhões registrados em igual período do ano anterior.

De acordo como relatório mensal de atividades (RMA), assinado pelo escritório Lucon Advogados, a margem bruta da empresa foi de 33,7%, 5,6 ponto percentual acima do 2018.

Esse saldo representa o resultado da divisão do lucro bruto pela receita líquida da Saraiva.

Assim, as despesas operacionais, incluindo o resultado financeiro, atingiram R$ 35,3 milhões, revelando uma contração de 31,9% na comparação anual.

Em síntese, apenas a despesa financeira líquida contabilizou R$ 3,0 milhões, contra despesa de R$ 5,9 milhões do ano passado.

Foram contabilizados ainda R$ 2,1 milhões em despesas financeiras em decorrência da implantação da nova norma contábil IRFS 16.

A queda da receita está diretamente atrelada à redução do número de lojas, informou a Saraiva. Até o respectivo relatório, 30 unidades foram encerradas.

No total, a empresa somou 74 lojas até o fim de julho, o mesmo número de junho, e 2.345 funcionários.

Em contrapartida, em junho deste ano, a Saraiva contava com uma equipe composta por 2.338 colaboradores ativos, revelando um decréscimo.

Além disso, a empresa conta com 34 ações de despejo em curso, sendo 28 ainda em primeira instância.

Todas as ordens estão suspensas, segundo a empresa, por decisão do juiz da recuperação judicial.

Por fim, houve a liberação de R$ 13 milhões em recebíveis anteriormente bloqueados pelo Banco do Brasil, informou a empresa.

O movimento, ocorrido em agosto, tem como objetivo garantir um empréstimo contratado antes do pedido de recuperação judicial acontecer.


Sobre o autor