EconomiaHome

Saiba quais são os principais compromissos econômicos globais para esta sexta-feira

Por Pablo Vinicius Souza
07 junho 2019 - 10:59
Nossa agenda local de indicadores econômicos tem como destaque a divulgação da Pesquisa Mensal do Comércio de setembro do IBGE.

Em nossa agenda doméstica, destaque para as divulgações do Índice Geral de Preços (IGP-DI), pela FGV.

Posteriormente, o IBGE publicará o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Lá fora, os EUA apresentam ao mercado os dados de postos de trabalhos criados, bem como taxa de desemprego e salário médio por hora, todos relacionados ao mês de maio.

Além de divulgar os índices, os dados sobre estoques no atacado e crédito ao consumidor também estão previstos para hoje.

Na Alemanha, houve um superávit comercial de 17 bilhões de euros no mês de abril, de acordo com dados ajustados sazonalmente e publicados pela Destatis, agência de estatísticas do país.

Além disso, as exportações alemãs recuaram 3,7% no mesmo período ante março.

As importações, por outro lado, contraíram um pouco menos, apenas 1,3%, no mesmo período, segundo informações da agência do país.

A produção industrial da Alemanha também recuou (1,9% em abril ante março), após dois meses seguidos de crescimento.

El Trump

As idas e vindas da decisão de Trump de taxar ou não mais países, vem ditando o ritmo dos mercados. Dessa vez, a perspectiva de que um acordo seja atingido com o México, animou investidores. Mas a decisão final e negociação deve sair hoje, uma vez que a taxação iniciaria já na segunda-feira. Então atenção às falas e aos dados de emprego nos EUA, que são determinantes para calibrar as chances de novos cortes nos juros norte-americanos.

Enquanto isso, aqui também estamos de olho em dados que indiquem possibilidade para novos cortes na Selic. Apesar de o Banco Central seguir com o discurso de que não fará movimentações no curto prazo, em especial sem a reforma aprovada ainda, o mercado financeiro opta por outro caminho e deposita suas expectativas em novas quedas da taxa. O IPCA, que mede a inflação apresentou forte desaceleração de 0,13 por cento, abaixo da expectativa. Além disso, temos vitória no Senado. O STF autorizou a privatização de subsidiárias de estatais podem ser vendidas sem o aval do Congresso, só as “empresas mães” que precisam do aval. Por ora, está liberada a venda da TAG que pertence a Petrobras.

Por Glenda Ferreira – Especialista em Investimentos na Levante Ideias de Investimentos

Leia mais:

Guedes: Integração Brasil-Argentina vai fazer Mercosul funcionar; governo prevê moeda única

Reforma da Previdência: regra para servidor perto da aposentaria pode mudar

Banco Central revela saída de R$ 718,7 milhões da caderneta poupança em maio

Investidor estrangeiro acumula saldo negativo na Bolsa; investidor institucional tem superávit

Câmbio derruba safra 2018/19 da Biosev, sem efeito caixa; margem melhora

Governo e Petrobras vencem no STF com destravamento de venda da TAG


Sobre o autor