Empresas

Resultados corporativos (Lojas Marisa, Ser Educacional) e leilão de ações da Helbor

Por Fast Trade
25 agosto 2020 - 07:28 | Atualizado em 25 agosto 2020 - 10:31
Marisa

Entrando na reta final dos resultados corporativos referentes ao segundo trimestre de 2020, período fortemente afetado pela pandemia do coronavírus, atenção para os próximos números:

Leia também: “Big Bang Day”: megapacote de medidas econômicas e sociais é adiado

Lojas Marisa (AMAR3)

O lucro bruto apurado pela varejista de moda feminina e íntima, Lojas Marisa (AMAR3), despencou 81,2% no segundo trimestre de 2020. Com isso, o saldo recuou para R$ 57 milhões ante R$ 302 milhões em 2019, refletindo não só a menor margem mas também menores vendas.

De acordo com o comunicado enviado ao mercado na véspera (24), a margem bruta da empresa declinou 31,1%, principalmente por causa do ambiente promocional.

Além disso, a companhia adotou uma estratégia de reduzir estruturalmente os níveis de estoque. Sua receita líquida somou R$ 282 milhões, redução de 59,1%.

Já o Ebitda ajustado total da Marisa, medidor do resultado operacional, amargou um prejuízo de R$ 66,8 milhões ante um lucro de R$ 39,2 milhões. Conforme mostrou a varejista em seu press release, esses resultados corporativos decorrem de uma deterioração de ambas as operações, varejo e PSF.

Nesse contexto, o impacto maior foi causado pelo fechamento parcial das lojas em resposta às medidas de isolamento social impostas no Brasil. Em processo gradual de reabertura, a rede de lojas da empresa já contava com 241 unidades em operação ao final de junho, 68% do total.

Por fim, seguindo a tendência de melhora do tráfego para o e-commerce, as vendas da plataforma digital saltaram 113,1%, ante 46,7% no trimestre passado.

Ser Educacional (SEER3)

Ao contrário da Lojas Marisa que reportou uma queda expressiva em seu lucro, a Ser Educacional (SEER3) encerrou o segundo trimestre com um recuo enxuto.

Entre abril, maio e junho, a companhia lucrou R$ 54,7 milhões líquidos ou 7,3% a menos do que o registrado no mesmo período de 2019. Em contrapartida, pela base ajustada, o lucro cresceu 8,7% e totalizou R$ 58,2 milhões, conforme mostrou o press release da Ser Educacional.

No período, a receita líquida da companhia cresceu 3,1%, passando de R$ 332,6 milhões para R$ 343 milhões na comparação anual.

Além disso, o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) somou R$ 133,6 milhões, alta de 8,5% na mesma base de comparação.

Helbor (HBOR3)

Helbor (HBOR3), que mostrou resultado líquido do controlador negativo em R$ 20,3 milhões no 2T20, comunicou ao mercado que irá leiloar 4 mil ações remanescentes de grupamento de ações realizado em 10 de julho.

Conforme o comunicado emitido ontem, esse leilão está previsto para acontecer em 26 de agosto, após o fechamento do mercado.

Para acompanhar o resultado líquido do leilão, após liquidação financeira da venda, a Helbor informou que “será disponibilizado aos titulares das frações agrupadas, na proporção das respectivas frações, conforme procedimentos e datas a serem oportunamente informados aos acionistas”.

Resultados corporativos: vendas da Helbor melhoraram

Entre os destaques internos Helbor, suas vendas atingiram R$ 94 milhões em junho, alta de 26,8% em relação a maio/20 e 84% frente a abril/20. O mais impressionante é que esse montante corresponde a 85% do período Pré Covid.

Por sua vez, as vendas totais da companhia contabilizaram R$ 219,4 milhões, demonstrando claramente a retomada no ritmo das vendas para os próximos períodos.

Em seu documento, a Helbor ressaltou  que o ritmo de crescimento das vendas se acentuou em julho, chegando a superar os níveis Pré Covid.

Para ficar por dentro de outros resultados corporativos que podem impactar as cotações dos ativos na Bolsa de Valores, continue acompanhando o portal Fast Trade.

Você também pode participar gratuitamente do Canal do Fast Trade no Telegram através do link: https://t.me/plataformafasttrade e ficar por dentro das novidades do mercado financeiro.

Veja outros resultados corporativos:

Magazine Luiza (MGLU3) tem prejuízo de R$ 64,5 mi no 2T20

Cemig (CMIG4) lucra menos no 2T20 e Profarma (PFRM3) sai de lucro para prejuízo

Cogna (COGN3) reporta prejuízo e C&A (CEAB3) sobe mesmo com resultado fraco


Sobre o autor