Política

Reposicionamento do Presidente e pauta dos caminhoneiros no panorama político

Por TradersClub
10 setembro 2021 - 10:00 | Atualizado em 10 setembro 2021 - 10:59
Reposicionamento do Presidente

Brasília, 10 de setembro – As principais notícias políticas que estão no radar do mercado, como: reposicionamento do Presidente, pauta dos caminhoneiros e ajuste de programa social:

Pacificação: Em sua live ontem à noite, o presidente Jair Bolsonaro disse que está aberto a negociações para entendimento com o Judiciário, reforçando o recuo na nota oficial divulgada mais cedo: “Eu acho que o que eu dei, a resposta ali, é o seguinte: eu estou pronto para conversar”, disse o Presidente.

LEIA: Confira 6 empresas listadas na B3 e como acompanhar o desempenho delas

Sem agressões: No comunicado, Bolsonaro afirmou que nunca teve “nenhuma intenção de agredir quaisquer dos Poderes” e que “a harmonia entre eles não é vontade minha, mas determinação constitucional”.

Moraes: O presidente reconheceu as “qualidades como jurista e professor” do ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes, e disse que “existem naturais divergências em algumas decisões”.

Quatro linhas: O presidente explicou o que chama de jogo nas quatro linhas da Constituição: essas divergências “devem ser resolvidas por medidas judiciais que serão tomadas de forma a assegurar a observância dos direitos e garantias fundamentais”.

Temor: Na transmissão, Bolsonaro deixou clara sua preocupação: “Quero ter a certeza de que não vou acordar com a PF na casa por fake news”.

Temer: A carta à nação foi redigida com o ex-presidente Michel Temer, que almoçou com Bolsonaro fora da agenda e também garantiu conversa telefônica entre ele e Moraes, segundo agências.

Encontro: Na conversa breve, Bolsonaro e Moraes acertaram encontro, ainda sem data e com presença de Temer e dos ministros da Casa Civil, Ciro Nogueira, e das Comunicações, Fabio Faria, conforme coluna de Lauro Jardim, em O Globo.

Pacheco: Nas redes sociais, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, considerou que a nota de Bolsonaro “vai ao encontro do que a maioria dos brasileiros espera”. A Casa é um foco de resistência atual às pautas do governo.

Lira: O presidente da Câmara escreveu em rede social que “decisão judicial se cumpre. Pode ser questionada depois, na esfera judicial. Mas deve ser cumprida”, esclarecendo postagem anterior em que afirmava que decisões inconstitucionais poderiam não ser observadas.

Ramos: O vice-presidente da Câmara, Marcelo Ramos, disse ao portal Fórum que irá às manifestações em favor do impeachment de Bolsonaro, em São Paulo, no próximo domingo. Segundo Ramos, “a nota do presidente Bolsonaro não pode apagar a irresponsabilidade dele até aqui, nem os crimes já cometidos”. O deputado completou dizendo que “na última vez que Michel Temer surgiu como apaziguador, deu em impeachment”.

LEIA: O que são as Blue Chips e qual é o seu papel dentro do mercado de ações?

Caminhoneiros: Na transmissão, Bolsonaro disse que “foi fantástico o que os caminhoneiros fizeram” e que o recado da categoria foi “para respeitar a Constituição”. Caminhoneiros afirmaram que só interromperão protestos quando Pacheco receber uma carta com suas reivindicações.

Programa social: Na transmissão, Bolsonaro informou que “já está acertado com o Ministério da Economia o mínimo de R$300 para o Bolsa Família a partir de novembro”.

Reposicionamento do Presidente


Sobre o autor