HomePolítica

Reforma da Previdência: voto complementar é adiado por pressão do Centrão

Por Pablo Vinicius Souza
27 junho 2019 - 10:22

A discussão do parecer da reforma da Previdência foi encerrada após quatro dias e mais de 30 horas de debate.

No total, 127 deputados mais os líderes partidários discursaram sobre a proposta.

De acordo com o Valor Econômico, a reunião que estava marcada para esta manhã, quando seria lido o voto complementar de Moreira, foi cancelada, por pressão dos partidos do Centrão.

O grupo continua insatisfeito com as sinalizações do tucano sobre o novo texto debatido nos últimos dias.

Em contrapartida, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e da Comissão Especial Marcelo Ramos (PL-AM) tentam realizar hoje a sessão.

Embora o encontro ainda possa ocorrer, Maia já sinalizou que a votação deve ficar para a próxima quarta-feira (3).

Ontem, o Ministério da Economia informou déficit de R$ 80,7 bilhões nas contas da Previdência Social, entre janeiro e maio.

Segundo o governo, o déficit global da Previdência previsto para este ano é de R$ 314,9 bilhões.

O montante equivale a 4,4% do Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e serviços produzidos no país).

“O gasto com a Previdência continuará crescendo nos próximos anos, mas crescerá de forma mais lenta com a aprovação da reforma da Previdência“, disse o secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida.

Por sua vez, o Tesouro Nacional e o Banco Central tiveram, juntos, superávit de R$ 63,3 bilhões.

No período, as contas públicas do Governo Central – Tesouro Nacional, Banco Central, Previdência Social – tiveram déficit de R$ 17,4 bilhões.

Leia mais:

Indicadores econômicos: relatório trimestral de inflação, IGP-M, números de emprego e mais

Bolsonaro desembarca no Japão para G20

WEG comunica pagamento de R$ 89,9 mi em JCP

Camil comunica pagamento de R$ 6 milhões em JCP

EDP comunica pagamento de R$ 476,1 milhões em dividendos e JCP

Neoenergia comunica pagamento de R$ 338 milhões em JCP


Sobre o autor