Política

Reforma administrativa pode gerar economia de R$ 400 bi

Por Fast Trade
26 setembro 2020 - 09:37 | Atualizado em 27 setembro 2020 - 10:05

A proposta de emenda constitucional (PEC) da reforma administrativa pode gerar uma economia de R$ 400 bilhões até 2034, segundo a projeção do Estudo do Centro de Liderança Pública (CLP).

O projeto, contudo, sequer começou a tramitar na prática devido a um impasse para instalação das comissões onde o texto será debatido.

Baixe gratuitamente: Guia do investidor iniciante

Vale destacar que a proposta chegou à Câmara na primeira semana de setembro, após meses de pressão do presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

De acordo com o estudo obtido pelo Estadão sobre a reforma administrativa, PEC que altera a forma como os servidores são contratados, promovidos e demitidos, o setor público pode economizar ao menos R$ 24,1 bilhões em 2024 com a aprovação das mudanças no seu RH, ainda que a proposta fique restrita aos novos servidores.

Assim sendo, o governo passaria a ter mais recursos para investir em outros segmentos como saúde, educação e segurança pública, segundo o centro de estudos.

Além disso, a economia com as despesas da folha de pessoal cresceria no decorrer dos anos até totalizar R$ 178,7 bilhões em 2030. Já em 2034, o estudo da CLP projeta que essa economia pode chegar aos R$ 400,3 bilhões.

Baixe agora: Guia de A a Z de como se tornar um trader!

Leia mais sobre a reforma administrativa:

Reforma administrativa: economia pode chegar a R$ 300 bilhões em dez anos, diz Guedes

Últimas notícias

Ibovespa fecha próximo à estabilidade de olho no cenário externo

Dólar avança a R$5,55 e fecha a semana com ganhos de 3,3%

Futuros do petróleo fecham em leve queda e recua na semana

Comércio global cresce 4,8% em julho, após recuo histórico no 2T20


Sobre o autor