Política

Reforma administrativa: economia pode chegar a R$ 300 bilhões, diz Guedes

Por Fast Trade
09 setembro 2020 - 16:00 | Atualizado em 09 setembro 2020 - 17:17

O ministro da Economia, Paulo Guedes, estimou que a reforma administrativa deve gerar aproximadamente R$ 300 bilhões de cortes de gastos, em 10 anos.

“Nossos cálculos iniciais indicam que essa reforma na formatação que enviamos vai cortar [cerca de] R$ 300 bilhões, ao longo de 10 anos”, disse ele no evento virtual promovido pelo Instituto de Direito Público (IDP) para tratar sobre o tema.

Portanto, conforme dito pelo economista, essa estimativa refere-se à proposta encaminhada ao Congresso Nacional. A matéria, no entanto, pode sofrer alterações pelos parlamentares.

Baixe gratuitamente: Guia do investidor iniciante

Nesse contexto, Guedes defendeu que o teto de salário do funcionalismo público seja elevado, a fim de reter talentos considerando a meritocracia e graus de responsabilidade.

Além disso, ele disse que é preciso haver uma enorme diferença entre os salários de ministros e dos demais servidores.

Assim sendo, a proposta da reforma administrativa prevê aumento de produtividade e considera a digitalização de “todo o serviço público”.

Otimista, o economista Paulo Guedes  disse acreditar que a reforma administrativa será aprovada ainda em 2020 “com um curso relativamente suave” no Congresso.

Maia participa do debate sobre a reforma administrativa

De acordo com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o Congresso pode incluir outros Poderes dentro da proposta de emenda constitucional (PEC) da reforma administrativa, mas ponderou: “Nada do que seja feito sem diálogo vai avançar, do meu ponto de vista, no Parlamento”.

Guedes ainda relembrou o desentendimento recente com Maia, mas agradeceu ao parlamentar por todo o empenho para aprovação das reformas.

“O que eu disse ao presidente da Câmara é que não posso ficar mandando técnicos meus para elaborarem uma reforma que está totalmente desalinhada com o que já aconteceu e o que pode acontecer daqui pra frente”, disse o ministro, dessa vez referindo-se à reforma tributária.

Baixa gratuitamente o relatório especial sobre os Fundos Imobiliários

Entenda o caso

Guedes vetou recentemente um almoço entre seus assessores e Maia, o que levou o parlamentar a dizer que estava rompendo de vez com o ministro.

De acordo com o parlamentar, as tratativas sobre votações como a reforma administrativa seriam feitas com o ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos.

Segundo Guedes, o desalinhamento está relacionado com o fato de que Maia teria a intenção de debater um fundo de R$ 400 bilhões na reforma tributária para prefeitos e governadores, mas o ministro disse que seu papel é defender a União.

Por fim, se você quer saber tudo o que acontece no mercado financeiro, basta participar do canal do Fast Trade no Telegram através do link: https://t.me/plataformafasttrade. É gratuíto!

Baixe gratuitamente: Guia de A a Z de como se tornar um trader


Sobre o autor