Empresas

Rede D’Or divulga lucro de R$ 225,2 milhões no 1T22; uma queda de 44% no balanço

Por Fast Trade
13 maio 2022 - 15:02 | Atualizado em 13 maio 2022 - 17:03

A Rede D’Or (RDOR3) reportou um lucro líquido de R$ 225,2 milhões no primeiro trimestre de 2022, o que representa uma queda de 44,1% na comparação anual. Na avaliação da empresa, o resultado sofreu o impacto da “elevação de juros no resultado financeiro”.

Ao mesmo tempo, o lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado recuou 1%, para o montante de R$ 1,316 bilhão. Já a margem Ebitda ajustada alcançou 24,5% no trimestre, apresentando um declínio de 3,7 pontos percentuais.

+ Guia completo para obter sucesso nos investimentos na Bolsa de valores!

No comunicado ao mercado, a empresa explicou que o resultado do Ebitda foi pressionado pela baixa de 1,4 ponto percentual na ocupação dos leitos durante o trimestre. Além disso, houve alteração no perfil médio de tratamentos em virtude do volume casos brandos de infecção pelas variantes do Covid-19.

Em contrapartida, de janeiro a março, a D’Or teve uma receita líquida de R$ 5,373 bilhões, anotando um crescimento de 13,8% em relação ao mesmo período do ano passado. Já a receita bruta foi recorde ao avançar 12,7% na base anual, totalizando R$ 5,98 bilhões.

Neste quesito, vale destacar que a receita bruta do segmento de oncologia subiu 23,9% no intervalo, somando R$ 503,4 milhões, enquanto o segmento de hospitais teve alta de 11,8% no mesmo indicador, totalizando R$ 5,47 bilhões.

1T22 Rede D’Or: Resultado financeiro, despesas e alavancagem

O resultado financeiro líquido ficou negativo em R$ 559,1 milhões no primeiro trimestre, mostrando uma queda de 42,8% sobre igual intervalo de 2021. Com efeito, o retorno sobre o capital investido (ROIC) alcançou 14,3%, apresentando um incremento de 5,1 pontos percentuais na comparação anual.

As despesas gerais e administrativas, contudo, somaram R$ 212,3 milhões de janeiro a março deste ano, registrando uma baixa de 2,6% sobre o valor contabilizado nos primeiro três meses de 2021. Em consequência, a dívida líquida atingiu R$ 14,198 bilhões no encerramento de março, reportando uma elevação de 90,4% sobre o mesmo período do ano anterior.

+ Tape Reading: Saiba o que é e como utilizar esta metodologia operacional!

Por fim, a alavancagem financeira, mensurada pelo cotejo entre a dívida líquida e o Ebitda ajustado, ficou em 2,9 vezes no primeiro trimestre, em uma queda de 0,4 vez na variação anual.

Quer ficar informado de todas as novidades sobre o mercado financeiro? Então assine a newsletter Fast Break e receba as notícias mais relevantes do momento!

 

Leia também:

Bolsa brasileira tem forte alta em sintonia com a “trégua” no exterior

Desemprego no Brasil fica estável em 11,1% no 1º trimestre, segundo a Pnad

1T22: Americanas reporta prejuízo de R$ 137 mi; analistas opinam e recomendam as ações


Sobre o autor