Empresas

Recompra de ações, IPO, prévia de resultados e mais

Por Fast Trade
17 julho 2020 - 08:20 | Atualizado em 17 julho 2020 - 08:55
crédito rural

A Neoenergia (NEOE3) comunicou ao mercado que seu conselho administrativo aprovou o programa de recompra de ações, via contratação de instrumento financeiro (Equity Swap).

Essa operação de recompra de até 2.555.000 ações tem como propósito a proteção da volatilidade do preço dos valores mobiliários de sua emissão.

De acordo com a Neoenergia, esse programa compõe o seu Programa de Incentivo de Longo Prazo, aprovado em assembleia geral extraordinária em meados de abril.

Prévia de resultados operacionais

Com a proximidade do início da temporada de balanços corporativos referentes ao segundo trimestre, muitas empresas divulgam a prévia de seus respectivos resultados operacionais.

Segundo a Eztec (EZTC3), suas vendas brutas levantaram R$ 21 milhões em abril, R$ 32 milhões em maio e R$ 94 milhões em junho. A construtora relatou que os efeitos da crise provocada pelo coronavírus foram sentidos principalmente em abril. Veja o comunicado na íntegra.

Do mesmo modo, a construtora Tenda (TEND3) divulgou sua prévia operacional do segundo trimestre, indicando o lançamento de 14 empreendimentos no período.

A operação totalizou R$ 630,2 milhões em Valor Geral de Vendas, +6,4% a/a e +280,6% t/t. Confira estes e outros números aqui.

Emissão de títulos de dívida

Além da recompra de ações, o painel corporativo desta sexta-feira (17) traz a confirmação de que a Braskem (BRKM5) emitirá títulos de dívida no exterior.

Conforme a publicação da empresa, essa operação é voltada para “investidores institucionais qualificados dentro de certos parâmetros e condições”.

Caixa seguridade retoma IPO

Por fim, a Caixa Econômica Federal sinalizou a retomada do processo de oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês) da Caixa Seguridade. A operação envolvendo o braço de seguros e previdência do banco pode movimentar R$ 15 bilhões.

Anunciado em fevereiro, os debates sobre o tema foram interrompidos em março, na esteira da alta volatilidade dos mercados, pressionados pela crise do coronavírus.

De acordo com a reportagem do Valor Econômico, o Tribunal de Contas da União (TCU) vai acompanhar de perto esse processo de abertura de capital.

“Diante da relevância do assunto tratado nesta representação, o Tribunal já vem acompanhando o tema […] e promoverá abertura de processos específicos para analisar os casos concretos envolvendo a Caixa Seguridade e a Caixa Cartões”, diz o acórdão dos ministros.


Sobre o autor