Mercados

Radar do Trader: temor norte-americano, “Payroll”, discursos do Fed e Petrobras

Por Fast Trade
06 maio 2022 - 08:25 | Atualizado em 06 maio 2022 - 09:55

O Radar do Trader desta sexta-feira (06) trouxe como destaque o temor sobre a economia norte-americana. Ainda nos Estados Unidos, membros do Federal Reserve (Fed) discursam depois de um dia de amplas perdas em Nova York e o mercado ganha acesso ao relatório do emprego “Payroll”. No Brasil os investidores reagem aos números da Petrobras. 

Calendário Econômico – Indicadores

  • 08:00 – IGP-DI mensal (Brasil)
  • 09:30 – Relatório do emprego ‘Payroll’ (EUA)
  • 10:00 – Produção e vendas de veículos (Brasil)
  • 10:15 – Federal Reserve – discurso de Williams, membro do Fomc (EUA)
  • 12:00 – Fluxo cambial estrangeiro (Brasil)
  • 14:00 – Contagem de sondas Baker Hughes (EUA)
  • 16:30 – Posições líquidas com especuladores no relatório CFTC (Brasil e EUA)
  • 20:15 – Federal Reserve – discurso de Waller, membro do Fed (EUA)
  • 20:15 – Federal Reserve – discurso de Bullard, membro do Fomc (EUA)
  • 21:00 – Federal Reserve – discurso de Mary Daly, membro do Fomc (EUA)

+ Saiba o porquê é importante utilizar a análise gráfica em suas operações!

Brasil

Por aqui, o mercado deve reagir ao anúncio do resultado da Petrobras no final do dia de ontem e ao discurso de Bolsonaro afirmando que o lucro a companhia é “um estupro” e “um crime”. Ao mesmo tempo, o mercado deve avaliar também outros desempenhos, como é o caso do Bradesco.

Já na temporada de balanços, depois do fechamento do mercado são reportados os números de Porto (PSSA3) e Sabesp (SBSP3). Por fim, atenção ao Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) e à produção de veículos.

“Payroll” nos Estados Unidos

O dia nos Estados Unidos é marcado, sobretudo, por discursos dos membros do Federal Reserve (Fed) sobre o atual estado da economia norte-americana e o futuro da política monetária. Ademais, saem os dados do emprego no país com o relatório “Payroll’.

Com efeito, os índices são divulgados depois que Wall Street teve o pior dia desde 2020. O Dow Jones fechou em queda de 3,12% e o Nasdaq recuou quase 5%. O mercado ainda teme a inflação e a recessão na economia dos Estados Unidos.

+ Guia de A a Z de como se tornar um trader: Baixe agora!

Europa e Ásia

Na Europa, o índice Stoxx 600 operava em forte queda ainda na esteira das perdas da véspera. A região repercute as preocupações sobre a economia norte-americana frente à inflação e os desdobramentos da guerra na Ucrânia, com novas ameaças de Vladimir Putin.

Por fim, as bolsas asiáticas tiveram, em geral, resultados negativos. A região segue, principalmente, o pessimismo nos Estados Unidos. O destaque negativo ficou com Hong Kong com perda de 3,81%, onde os papéis das companhias de tecnologia são mais sensíveis à percepção de risco dos agentes econômicos.

  • Shanghai SE (China), -2,16%
  • Nikkei (Japão), +0,69%
  • Hang Seng Index (Hong Kong), -3,81%
  • Kospi (Coreia do Sul), -1,23%

Quer ficar informado de todas as novidades sobre o mercado financeiro? Então participe gratuitamente do Canal do Fast Trade no Telegram!

Radar do Trader: temor norte-americano, “Payroll”, discursos do Fed e Petrobras

Leia também:

Petrobras anuncia lucro líquido de R$ 44,561 bi no 1T22 e aprova pagamento de dividendos


Sobre o autor