Mercados

Radar do Trader: Discurso de Powell, Relatório ADP, livro bege, Caged e Boletim Focus

Por Fast Trade
02 março 2022 - 08:45 | Atualizado em 02 março 2022 - 10:45
Bandeira da ruptura Rússia e Ucrânia
Créditos: shutterstock.com

O Radar do Trader desta quarta-feira (02) trouxe como destaques o conflito na Ucrânia na economia global e o retorno das operações na B3 após o feriado. O mundo inteiro já está sentindo a elevação dos preços do petróleo. Além disso, os investidores estão atentos aos vários indicadores e discursos como a fala de Powell, a divulgação do livro bege, dados do Caged e do relatório ADP.

Calendário Econômico – Indicadores

  • 09:00 – Índice de compras MBA (EUA)
  • 10:15 – Variação de empregos privados ADP (EUA)
  • 11:30 – Federal Reserve – discurso de Bullard (EUA)
  • 12:00 – Federal Reserve – depoimento de Powell, presidente do FED (EUA)
  • 13:30 – Estoque de petróleo EIA (EUA)
  • 14:00 – Relatório Boletim Focus (Brasil)
  • 14:30 – Fluxo cambial estrangeiro (Brasil)
  • 16:00 – Divulgação do Livro Bege (EUA)

+ Guia completo sobre investimentos em fundos multimercados

Brasil

Com o avanço no preço do petróleo, os papéis da Petrobras avançaram no mercado norte-americano. Os recibos de ações PRBs negociados em Nova York tiveram alta de 2,73% na terça-feira (01), cotados a US$ 14,62. Já os PRB.As tiveram avanço de 3,28%, terminando o dia em US$ 13,52.

Na política a atenção se volta novamente para as propostas para o controle dos preços dos combustíveis. É possível que o dia traga novidades sobre o PLP 11 (congelamento do ICMS regional) e o PL 1472 (fundo de estabilização dos combustíveis e impostos de exportação).

Por fim, entre os indicadores o mercado local fica atento ao Relatório Boletim Focus e ao Cadastro Geral de Empregados e Desempregos (Caged). A expectativa de acordo com a Infinity Asset Management é a criação de 179.445 de vagas formais de emprego.

Discurso de Powell e outros indicadores nos Estados Unidos

O petróleo dos Estados Unidos atingiu US$ 111 o barril nesta quarta (02), nível mais alto em uma década. A escalada do preço da commodity pode expandir a inflação global e provocar recessão nas economias, o que atrai os olhares dos investidores.

Em meio à incerteza, o fluxo de capital está migrando para o Tesouro norte-americano, o que acarreta na queda dos juros de curto prazo. Sendo assim, os papéis dos bancos têm queda no dia e a perspectiva de aumento dos juros dos Federal Reserve diminui.

Nesse sentido, hoje o mercado escuta as falas de Bullard e de Jerome Powell, presidente da autoridade monetária. Com efeito, é o primeiro pronunciamento dele depois da eclosão da guerra na Ucrânia.

Joe Biden, presidente dos Estados Unidos, anunciou novas sanções à Rússia, como a exclusão de bancos do país ao sistema de pagamentos SWIFT. Por outro lado, o país europeu anunciou a ocupação da região de Kherson e faz bombardeios em Kharkiv, segunda maior cidade da Ucrânia. 

Entre os indicadores, atenção sobretudo para o livro bege e para os dados da criação de empregos privados por meio do relatório ADP que será divulgado na manhã de hoje.

+ Guia de A a Z de como se tornar um trader

Europa e Ásia

Na Europa, o índice Stoxx 600 opera em quase estabilidade depois de um dia de forte queda. A região é amplamente afetada pela guerra da Ucrânia. Na véspera, integrante do Banco da Inglaterra (Boe) disse que a inflação do Reino Unido pode ir a 7,5% em abril deste ano por causa da elevação dos preços da energia.

Por fim, as bolsas asiáticas seguem os mesmo temor e têm, em geral, resultados negativos com destaque negativo para os papéis do Japão. O Nikkei teve recuo de 1,68%.

  • Shanghai SE (China), -0,13%
  • Nikkei (Japão), -1,68% 
  • Hang Seng Index (Hong Kong), -1,84% 
  • Kospi (Coreia do Sul), +0,16%

Quer ficar informado de todas as novidades sobre o mercado financeiro? Então assine a Fast Break e receba as notícias mais relevantes do momento!

Radar do Trader: Discurso de Powell, Relatório ADP, livro bege, Caged e Boletim Focus

Leia também:

Inflação preocupa mesmo antes do conflito na Ucrânia, dizem analistas

Juros, commodities e migração dos fluxos de capital podem amparar os ativos locais


Sobre o autor