HomeMercados

PSL decide suspender Eduardo Bolsonaro; emissão de debêntures; joint venture; confira mais

Por Bruna Santos
28 novembro 2019 - 09:59

O deputado Eduardo Bolsonaro (SP) e outros 13 deputados podem ser suspensos das atividades partidárias por até 12 meses, após decisão da Executiva Nacional do PSL.

A medida se volta para os integrantes do partido que hoje que são alvos de processo no Conselho de Ética.

Inicialmente, a decisão não carrega o efeito imediato. Assim sendo, será preciso ser referendada pelo Diretório Nacional da legenda.

Se mantida na próxima semana, o filho do presidente Jair Bolsonaro perde a liderança do PSL na Câmara, bem como todas as cadeiras que ocupa nas comissões temáticas da Casa, mantendo apenas o comando da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (Creden).

Nesse caso, a ocupação seria mantida por ter sido eleito presidente, ficando imune a quaisquer alterações feita pelo partido.

A Câmara dos Deputados aprovou o texto principal de projeto sobre incentivos fiscais para o setor de tecnologia da informação.

No âmbito corporativo, a Equatorial Energia (EQTL3) aprovou o desdobramento de suas ações.

Assim, o capital social da companhia, no montante de R$ 2.776 bilhões passa a ser dividido em 1.010.186.085 ações ordinárias.

O cenário econômico também teve novidades após medida do governo limitar a 8% ao mês os juros do cheque especial.

Entre os indicadores, atenção para o IGP-M de novembro, assim como o resultado primário do governo central.

Por fim, o Banco Central planeja realizar hoje uma oferta líquida de até US$ 1 bilhão em moeda à vista.

No exterior, os mercados americanos permanecem fechados em virtude do feriado de Dia Mundial de Ações de Graças, ou Thanksgiving.

Ainda assim, o cenário internacional repercute a sanção do presidente Donald Trump, de um projeto de lei em apoio aos manifestantes em Hong Kong.

O Ministério das Relações Exteriores da China, por sua vez, afirmou que a “conspiração” dos EUA está “fadada ao fracasso”.

O feriado de Dia de Ações de Graça americano deve retirar boa parte da liquidez do dia, sendo que amanhã as Bolsas de Nova York ainda fecham mais cedo devido às promoções de Black Friday, ou seja, o clima de final de ano e menos negociações deve predominar.

Por aqui, a CMN limitou a taxa do cheque especial. Ponto positivo já que temos umas das taxas mais altas no mundo e agora deve cair bastante. Por exemplo, em outubro a taxa ficou em 305,9% ao ano ou 12,38% ao mês. A partir de 6 de janeiro, o máximo que pode ser cobrado e de 8% por mês e permite a cobrança de tarifas para o uso das linhas.

Por Glenda Ferreira – Especialista em Investimentos na Levante Ideias de Investimentos

Banco Central realiza hoje oferta líquida de até US$1 bi em dólar à vista

Após o dólar anotar um novo recorde de fechamento na quarta-feira (27), o Banco Central agendou uma oferta líquida de até 1 bilhão de dólares à vista para hoje.

Espera-se que a medida promova mais previsibilidade ao mercado e ajude a acalmar a cotação da moeda que vem subindo.

Entre terça e quarta-feira desta semana, a instituição operou três ofertas líquidas de dólar à vista, mas anunciou as operações no decorrer dos respectivos pregões, em paralelo ao avanço do dólar que segue renovando máximas recordes.

Dessa vez, contudo, foi diferente; o comunicado veio após o fim da sessão, quando o dólar apreciou 0,50% contra o real brasileiro, sendo cotado a R$4,2590 na venda, batendo o seu terceiro recorde consecutivo.

Ademais, o BC notificou as condições para o leilão de dólar à vista no montante de até US$ 785 milhões.

Essa operação que tem sido diária (entre 9h30 e 9h35) tem como propósito “trocar” posição de swaps para dólar físico.

Assim também, o Banco Central acolherá propostas para venda de até 15.700 contratos de swap cambial reverso.

Como resultado caso não haja venda integral dos dólares à vista e dos swaps reversos, a instituição realizará posteriormente, entre 11h30 e 11h40, um leilão de contratos de swap cambial tradicional em montante igual à diferença entre o ofertado de swap reverso e o efetivamente vendido ao mercado.

Stix Fidelidade: a coalização inédita entre GPA e Raia Drogasil

Uma coalização inédita de fidelidade foi anunciada pelo Grupo Pão de Açúcar (PCAR4) e a rede de farmácias RD (RADL3).

É sabido que a Stix Fidelidade – como será conhecida a joint venture – terá como propósito oferecer benefícios valiosos, mas também acessíveis para os seus integrantes.

Nesse sentido, esse programa de fidelidade que deve iniciar as operações no 2S20 visa oferecer uma ampla gama de segmentos.

Além de nascer como uma plataforma de produtos e serviços para acúmulo e resgate de pontos, a Stix Fidelidade tem como propósito ampliar a base de clientes de ambas as companhias, bem como a frequência de compras, conforme dito a jornalistas pelo diretor-presidente do GPA, Peter Estermann.

Um dos diferenciais, por exemplo, é o fato de que o mercado de fidelidade hoje está muito orientado para viagens.

Com a Stix, será possível trocar pontos com muito mais frequências, assim como acumulá-los por período acima de 12 meses.

Embora a joint venture tenha sido divulgada ao mercado, resta ainda a aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Pelo acordo, o GPA conduzirá uma participação de 66,7% na empresa que será autônoma; a RD ficará com 33,3% remanescentes.

Essa coalização inédita de varejistas com empresas de abrangência nacional reunirá como âncoras grandes marcas.

Entre elas: Extra, Pão de Açúcar, Drogasil e Droga Raia, totalizando cerca de 3 mil estabelecimentos distribuídos em território nacional.

Ainda não ficou claro, no entanto, os detalhes sobre quanto cada empresa aportará na joint venture, nem mesmo qual será a taxa de conversão de compras em pontos em cada loja.

Há, contudo, a informação de que todo ponto acumulado poderá ser trocado pelo equivalente a 1 real em resgates.

Por fim, o Banco Itaú (ITUB4), cujos usuários de cartão de crédito poderão transferir seus pontos para o Stix Fidelidade, será um parceiro estratégico.

Pão de Açúcar informa a liquidação de OPA pela Almacenes Éxito

O Grupo Pão de Açúcar –  GPA (PCAR4deu continuidade aos fatos relevantes divulgados entre julho e novembro para comunicar ao mercado em geral, assim como seus acionistas, a liquidação de OPA da colombiana Almacenes Éxito.

Conforme o fato relevante do grupo, a operação ocorreu após aceite de acionistas donos de 96,57% do capital da companhia.

De acordo com o GPA, o montante total da OPA é de 7.780.620.024.000 pesos colombianos ou, aproximadamente R$ 9,5 bilhões.

Na mesma data (27), controladas do francês Casino Guichard-Perrachon adquiriram todas as ações do GPA detidas pela Éxito.

A operação foi concluída pelo preço líquido de dívida de US$1.161 milhões, que equivale a, em média, R$ 4,9 bilhões.

Essas operações de liquidação e OPA, por exemplo, integram o processo de reorganização das companhias do Casino na América Latina.

Nesse sentido, a Diretora de Relações com Investidores do varejista de alimentos, Isabela Cadenassi, informou que o Conselho de Administração do GPA se reunirá nesta quinta-feira (28) para deliberar sobre a migração para o Novo Mercado da B3 (B3SA3), com a conversão de ações preferenciais em ações ordinárias.

Por fim, o GPA se comprometeu em atualizar o mercado sobre os próximos passos relacionados a respectiva migração.

Sanepar anuncia emissão de debêntures de R$ 350 milhões e investimento de R$ 7,6 bilhões

A Companhia de Saneamento do Paraná –  Sanepar (SAPR11) anunciou a estruturação de uma emissão de debêntures em R$ 350 milhões.

De acordo com o fato relevante publicado na véspera (27), data da autorização oriunda de uma Reunião Extraordinária do Conselho de Administração, os recursos captados com a ação serão destinados ao Plano de Investimentos da Sanepar.

Além de comunicar a emissão de debêntures, a companhia se prepara para investir R$ 7,632 bilhões entre 2020 e 2024.

Os números destacados superam os investimentos regulatórios, de R$ 6,820 bilhões, em 12%.

Assim como na emissão das debêntures, o montante foi aprovado pelo Conselho de Administração em Reunião Extraordinária na mesma data.

Do montante total, a maior fatia dos investimentos, isto é, R$ 4,1 bilhões, serão concentradas na rede de esgoto.

Segundo a Sanepar, o programa de investimentos prevê a garantia do abastecimento de água assim como a sua qualidade.

Paralelamente, os investimentos podem se voltar para compromissos assumidos nos contratos de concessão e de programa visando a universalização dos serviços de esgoto.

Ademais, as demandas oriundas de diagnósticos operacionais dos sistemas de abastecimento de água e esgotamento sanitário também serão atendidas.

Por fim, o compliance ambiental deve ser contemplado, inclusive os Termos de Acordo Judicial (TAJ); infraestrutura e muito mais.


Sobre o autor