HomeMercados

Projeto de renda emergencial e isolamento vertical; confira a agenda econômica e corporativa

Por Bruna Santos
27 março 2020 - 08:46
1º pregão do ano

A Câmara dos Deputados aprovou o projeto que estabelece uma renda emergencial de R$600 ao grupo chamado de “vulneráveis”.

Desse modo, os trabalhadores autônomos que ficaram sem trabalhar em razão do surto de coronavírus e dos isolamentos sociais voluntários serão amparados por três meses. É possível que haja uma prorrogação no futuro.

O texto deve ser sancionado hoje pelo presidente Jair Bolsonaro.

Quando o valor proposto era R$500, o presidente da Casa, Rodrigo Maia estimou um impacto de R$10 a R$12 bilhões.

Além disso, uma campanha do governo federal em prol do “isolamento vertical” pode ganhar força nesta sexta-feira (27).

A defesa é que apenas fiquem isolados aqueles do grupo de risco (idosos e portadores de doenças crônicas, por exemplo).

Entre os indicadores econômicos locais, destaque para o índice de preços ao produtor de fevereiro (IBGE) e os dados de empréstimos pessoais e pendentes do mesmo mês (Banco Central).

Nos EUA, saem os dados de renda, gastos pessoais (fevereiro) e os números do sentimento da Universidade de Michigan (março).

No cenário corporativo, Eletrobras, Cogna (antiga Kroton) e Equatorial Energia publicam hoje seus resultados.

Via Varejo amarga um prejuízo de R$875 mi no 4T19 e congela plano de abertura de lojas

A Via Varejo confirmou a constatação de evidências de fraude em seus demonstrativos contábeis, conforme mostramos anteriormente no portal.

Segundo a investigação, a fraude de gastos com processos trabalhistas totalizou ajustes de R$1,190 bilhão nas demonstrações do 4º trimestre.

Em valores líquidos de impostos, o montante fraudado foi de R$786 milhões.

Inicialmente, a dona das redes Casas Bahia e Ponto Frio havia reportado a reversão de prejuízo de R$282 milhões no 4T18 para lucro líquido operacional de R$78 milhões. Agora, contudo, os ajustes contábeis mostraram que a companhia contabilizou um prejuízo líquido contábil de R$875 milhões entre outubro e dezembro de 2019.

Sua receita líquida somou R$7,61 bilhões, e a receita líquida operacional somou R$7,6 bilhões (+1,1% na comparação anual com 2018).

Além disso, o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado da Via Varejo (VVAR3) totalizou R$605 milhões (+91,4%).

Em paralelo, a margem desse mesmo indicador quase dobrou, de 4,2% para 8%.

Durante sua teleconferência de resultados, a companhia comunicou o congelamento do plano de abertura de 70 a 90 lojas para 2020 e que terá uma nova versão do aplicativo até junho.


Sobre o autor