EconomiaHome

Privatizações e desinvestimentos já batem meta de 2019, segundo o Ministério da Economia

Por Bruna Santos
04 outubro 2019 - 10:52

As privatizações e desinvestimentos já bateram a meta de US$ 20 bilhões em 2019, segundo o Ministério da Economia.

Conforme publicado, tanto as privatizações quanto a venda de ativos chegaram aos US$ 23,5 bilhões (R$ 96,2 bilhões) até setembro.

Para chegar ao resultado dessa equação, o governo levou em consideração os R$ 78,6 bilhões oriundos de privatizações e desinvestimentos.

Ademais, entraram na conta R$ 5,7 bilhões em concessões e, por fim, R$ 11,9 bilhões em vendas de ativos naturais.

De acordo com a apresentação do secretário Especial de Desestatização, Desinvestimento e Mercados do Ministério da Economia, Salim Mattar, foram também abarcadas três operações da Eletrobras (ELET3;ELET5;ELET6) realizadas em 2018, mas integralizadas em 2019, envolvendo Amazonas Energia, CEAL e Uirapuru Transmissora.

Outras estatais podem ser incluídas na lista das que podem ser vendidas, segundo Salim Mattar.

Ele destacou, por exemplo, que as privatizações da Caixa, Banco do Brasil (BBAS3) e Petrobras (PETR3;PETR4) não estão no mandato.

Em contrapartida, é possível que haja valor potencial a ser atingido com operações envolvendo essas empresas, ele ponderou, desde que o Congresso, o presidente da República e a sociedade entendam dessa forma.

Não há, contudo, indícios de que essas privatizações ocorram neste mandato.

Uma nova lista pode ser divulgada durante a próxima reunião do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), ainda em 2019.

Mattar esclareceu ainda que o valor das estatais federais no início do ano foi calculado em R$ 490 bilhões, mas está hoje em “R$ 700 e poucos bilhões” em função de valorização sofrida por empresas que são listadas na bolsa.

Ele frisou que é necessário que o governo vá adiante com o processo de privatização uma vez que “empresas estatais têm sempre benefícios e nem sempre são competidoras muito leais”.


Sobre o autor