Mercados

Preços do petróleo fecham sessão em alta e acumulam ganhos fortes na semana

Por Bruna Santos
08 maio 2020 - 16:53 | Atualizado em 08 maio 2020 - 17:43
exportação de petróleo

Os preços do petróleo romperam a semana volátil para os principais mercados globais e acumularam ganhos sólidos na semana.

Apenas hoje, os contratos futuros do WTI para junho encerraram o pregão com alta de 5,05%, a US$ 24,74 por barril. Do mesmo modo, os preços do Brent para entrega em julho avançaram 5,12% e fecharam cotados a US$ 30,97 por barril na ICE, em Londres.

Tanto a referência americana quanto a referência global acumularam ganhos de 24,4% e 15,8%, respectivamente, no acumulado semanal.

O saldo aponta para um cenário mais otimista quanto aos cortes na produção e aumento da demanda por gasolina. Embora as perspectivas animem os investidores, os preços do petróleo foram atropelados pelo receio na véspera e fecharam em queda.

Nem mesmo os terríveis dados sobre empregos – já especulados – no Payroll dos EUA abalaram os preços do petróleo nesta sexta-feira (8).

Em meio tratativas para a reabertura dos mercados, a economia dos Estados Unidos reportou menos 20 milhões empregos não-agrícolas apenas em abril. O dado representa a maior queda mensal de todos os tempos.

Assim sendo, o alívio para o mercado do petróleo veio em consonância com o anúncio recente de que a Arábia Saudita aumentaria seus preços de exportação.

Atrelado aos cortes de quase 10 milhões de barris por dia pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo e seus aliados, os preços foram sustentados. Dados oficiais de estoques nos EUA apontaram alta de 4,59 milhões/barris na semana passada, volume abaixo do especulado por analistas (7,4 milhões).

O petróleo registrou a sua 2ª semana de ganhos consecutivos após contagem de plataformas de petróleo dos EUA chegar a 292.

De acordo com a medição da empresa de serviços de petróleo Baker Hughes, que acompanha esses números desde 1940, a queda foi de 33. Surpreendentemente, o número não ficava abaixo de 300 desde a crise financeira de 2008/09.

Preços do petróleo no 2º trimestre

A IHS Markit projeta que o segundo trimestre terá “o maior volume de cortes na produção na história da indústria de petróleo e derivados“. Segundo o Valor Econômico, até 17 milhões de barris por dia de produção total de líquidos devem ser cortados no próximo trimestre. Além disso, outros quase 14 milhões de barris por dia de produção de petróleo bruto também devem sofrer cortes.


Sobre o autor