Mercados

Preços do petróleo avançam com acordo de corte na produção

Por Bruna Santos
03 junho 2020 - 17:14 | Atualizado em 03 junho 2020 - 17:44
Petróleo

Ao final do dia, os preços do petróleo WTI para julho acumularam ganhos de 1,30%. Assim, o West Texas Intermediate findou o pregão cotado em US$ 37,29 o barril, na Bolsa de Mercadorias de Nova York (Nymex).

Do mesmo modo, os contratos da referência global (Brent) para agosto avançaram, marcando US$ 39,79 após valorizar 0,55% nesta quarta-feira (3) na ICE, em Londres.

Informações de que a Arábia Saudita e Rússia vão estender os cortes do petróleo por mais um mês contribuíram para o saldo positivo nos preços.

Ainda de acordo com os delegados da Organização dos Países Produtores de Petróleo (Opep), muitos dos grandes produtores estão confiantes que a demanda retornará rapidamente.

Pelo mundo, os mercados reabrem gradativamente após as restrições de aglomeração impostas pela pandemia do novo coronavírus. O movimento sustenta o rali das Bolsas.

Por outro lado, o pacto pode ser comprometido já que membros da Opep no Golfo não planejam manter cortes após junho, disseram fontes à Reuters.

Diante das incertezas sobre a manutenção dos cortes na demanda, um relatório semanal de estoques dos Estados Unidos, melhor que o esperado por analistas, ajudou a sustentar os preços do petróleo na sessão. Ontem, o mercado de petróleo fechou no maior nível em 3 meses.

Estoques dos EUA sustentam preços do petróleo

O Departamento de Energia dos EUA (DoE, na sigla em inglês) acenou para um recuo de 2,077 milhões barris nos estoques americanos. Com o decréscimo, os estoques dos Estados Unidos fecharam a semana passada com 532,345 milhões de unidades, conforme a divulgação.

Esse resultado contribuiu para a valorização nos preços do petróleo, após contrariar a estimativa de analistas consultados pelo Wall Street Journal (+2,8 milhões de barris). Assim também, as perspectivas para os níveis de gasolina também foram frustradas.

Embora os analistas tenham projetado um recuo de 200 mil unidades, os níveis de gasolina dos EUA avançaram 2,795 milhões de barris na semana, totalizando 257,795 milhões de barris.

Do mesmo modo, as reservas de destilados cresceram o equivalente a 9,934 milhões de unidades, superando em muito a expectativa (+3 milhões). Assim sendo, as reservas que incluem diesel e óleo para calefação ficaram em 174,261 milhões de barris na semana passada.

Por fim, os estoques em Cushing, Oklahoma, o centro de distribuição do petróleo negociado na Nymex, contraíram em 1,739 milhão de barris, totalizando 51,723 milhões de unidades.


Sobre o autor