Agronegócio

Plano Safra 2020/21: ministra da Agricultura defende antecipação do crédito

Por Bruna Santos
06 abril 2020 - 09:35 | Atualizado em 06 abril 2020 - 09:35
PIB do agronegócio

Diante das medidas econômicas anunciadas pelo governo federal para sustentar a economia brasileira, há receio pelo pagamento do Plano Safra.

Em um webinar transmitido pela plataforma AgroSaber, a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, afirmou estar discutindo a antecipação do mesmo.

A expectativa, segundo ela, é dar um “horizonte ao produtor”, afinal, é possível haver um cenário de restrição de crédito.

Desse modo, a ministra discute com o Ministério da Economia o pagamento do que é considerado a maior política de crédito governamental para financiamento do agronegócio.

É comum que o Plano Safra seja divulgado entre o final de maio e início de junho, mas os gastos extraordinários devido a pandemia do coronavírus pode comprometer a disponibilidade dos recursos de subsídio federal que tem como propósito serem usados no próximo ciclo agrícola (que compreende 1º de julho do ano vigente a 30 de junho do próximo ano).

Após ter sido questionada pelo ex-ministro da Agricultura e sócio da trading de grãos Amaggi, Blairo Maggi, sobre o receio de produtores quanto à restrição de crédito pelos bancos privados como medida cautelar em virtude do atual cenário, Tereza Cristina destacou que a Pasta está dialogando com o Banco Central sobre a oferta de crédito, assim como sobre a garantia da normalidade das operações das instituições financeiras privadas.

Dado o cenário de risco, o Plano Safra 2020/21 pode ser considerado fundamental para a sustentação da economia no País.

Isso porque diversos importantes produtores devem encontrar dificuldade para produzir em função da referida crise.

Portanto, “é uma excelente oportunidade para o setor” entrar na rota de fornecimento para vários países afetados pela crise.


Sobre o autor