Agronegócio

PIB do agronegócio cresceu 0,36% em abril

Por Fast Trade
07 julho 2020 - 16:08 | Atualizado em 07 julho 2020 - 17:50
PIB do agronegócio

O Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio brasileiro avançou 0,36% no mês de abril, mantendo a trajetória ascendente desde o início do ano. A análise é do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea/USP) e da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA).

De acordo com as entidades, a pandemia do coronavírus limitou o resultado, uma vez que esse foi o menor crescimento mensal de 2020.

“Nesse mês, que foi o primeiro marcado em sua totalidade pelos efeitos das medidas relacionadas ao coronavírus, houve forte queda de produção da agroindústria de base agrícola, com baixas acentuadas para móveis e produtos de madeira, biocombustíveis, têxteis e vestuário e bebidas. Ao contrário, os segmentos de insumos e primário cresceram no mês, 0,46% e 3,26%, respectivamente”, diz o estudo.

No período, a agricultura declinou 0,19% no PIB. Mesmo assim, ainda acumula alta de 1,72% nos primeiros quatro meses do ano. Além disso, o setor pecuário cresceu 1,45% e, desse modo, já avança 8,01% em 2020.

“O excelente resultado do segmento primário agrícola, por sua vez, reflete os preços mais elevados na comparação entre os períodos e a expectativa de maior produção na safra atual”, disse o Cepea.

Os produtos que se destacaram nesse segmento em termos de altas de preço foram: milho, café, cacau e arroz, com altas superiores a 20%, além de soja, trigo, mandioca e cana, de acordo com a CNA.

“Já para o segmento primário pecuário, o resultado positivo reflete sobretudo os preços elevados em 2020, com destaque para boi gordo, suínos e ovos”, completou. Vale destacar ainda “o efeito inercial da forte elevação ao longo de 2019, relacionada à peste suína africana”, disse a entidade.

PIB do agronegócio cresce 3,78% no primeiro quadrimestre

Entre janeiro, fevereiro, março e abril, o PIB do agronegócio cresceu 3,78% na comparação anual com 2019, conforme os cálculos do Cepea e da CNA. Um dos gatilhos para o resultado foi a alta de 8,22% observada no segmento primário (“dentro da porteira”), diretamente influenciada por mais uma colheita recorde de soja na safra 2019/20.

O quadrimestre ainda apurou resultados positivos em todos os segmentos (+3,98% na área de serviços, +0,97% em insumos e +0,44% na frente agroindustrial). Nesse contexto, a agricultura e a pecuária avançaram no primeiro quadrimestre, 1,72% e 8,01%, respectivamente.

Leia também: China suspende exportação de mais dois frigoríficos brasileiros


Sobre o autor