Mercados

Petróleo cai mais de 1% em sinal de correção de olho no surto de Covid-19

Por Fast Trade
18 maio 2021 - 19:50 | Atualizado em 19 maio 2021 - 07:00
Ibovespa futuro sobe com petróleo

Os contratos futuros de petróleo encerraram em queda nesta terça-feira (18), em sinal de correção, de olho no surto de Covid-19 na Ásia.

Depois de alcançar a máxima de dois meses, a commodity passou por ajustes, em atenção a um possível cenário de excesso de oferta. Isto porque, o agravamento da pandemia em algumas regiões tende a prejudicar a recuperação na demanda por óleo bruto.

Ao mesmo tempo, relatos sobre um possível acordo nuclear envolvendo o Irã e as demais potências mundiais renovaram as preocupações dos investidores.

Com a retirada das sanções impostas ao regime iraniano, a produção de petróleo do país voltará livremente ao mercado, adicionando pressão aos preços do barril.

Maiores rendimentos de dividendos de 2021

No fechamento, as cotações do petróleo Brent/julho caíram 1,07% no preço de US$68,71 o barril, negociado na ICE de Londres. Já os preços do WTI/junho recuaram 1,17% no valor de US$65,49 o barril, vendido na Bolsa de Nova York.

O mau humor teve início após a publicação da BBC Pérsia no Twitter sugerir que houve um progresso nas negociações do acordo nuclear entre Estados Unidos e Irã.

Nesse sentido, Mikhail Ulyanov, enviado da Rússia ao Conselho de Segurança das Nações Unidas em Viena, teria informado ao correspondente da emissora que as negociações avançaram e pode ocorrer um anúncio muito importante amanhã.

Situação do Irã e o acordo nuclear

Vale lembrar que as negociações entre o Irã e os demais países que fazem parte do acordo nuclear estão em andamento já há algum tempo. Desse modo o objetivo é fazer com que o país retorne ao acordo para parar com o enriquecimento de urânio com finalidades bélicas.

Desde 2015, Teerã deixou o acordo e acelerou seu programa nuclear, ameaçando provocar ataques caso os EUA fizessem qualquer movimento contrário ao regime.

Guia de A a Z de como se tornar um trader!

No entanto, o retorno do país ao grupo pode levar à suspensão das sanções comerciais aplicadas, permitindo ao Irã retomar as exportações de petróleo. Por isso, a tendência do mercado de contratos futuros da commodity permanece sob pressão, sobretudo, diante do aumento das infecções e o ritmo lento de vacinação.

Da mesma forma, o aumento da inflação americana e a possível mudança de política monetária no país constituem um grande entrave ao aumento das necessidades energéticas da maior economia do mundo.

Quer ficar informado de todas as novidades sobre o mercado financeiro? Então participe do Canal do Fast Trade no Telegram através do link: https://t.me/plataformafasttrade

Petróleo cai mais de 1% em sinal de correção de olho no surto de Covid-19

Leia também:

Ibovespa fecha estável, apesar do movimento errático neste pregão

Em mais uma sessão de baixa, dólar fecha a R$5,25 seguindo o exterior

Gestores apostam no bom desempenho do real, diz Bank of America


Sobre o autor