HomePolítica

Pedido de calamidade pública; impeachment de Bolsonaro chega à Câmara; reunião do Copom

Por Bruna Santos
18 março 2020 - 09:23

O governo federal pedirá ao Congresso Nacional pela aprovação do reconhecimento de estado de calamidade pública no país.

A medida, prevista no Artigo 65 da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), dispensaria a União do cumprimento da meta de resultado fiscal para 2020 de déficit primário de R$ 124,1 bilhões.

O presidente Jair Bolsonaro acenou para a edição de uma portaria para fechamento da fronteira entre Brasil e Venezuela.

Segundo ele, a decisão é para impedir o colapso do sistema de saúde de Roraima, mantendo a passagem de mercadorias.

A Câmara dos Deputados aprovou ontem (17), por unanimidade, um projeto que autoriza o uso de saldos que estão parados em contas governamentais para o combater o Covid-19. O texto pode liberar R$ 6 bilhões, conforme as estimativas da relatora Carmen Zanotto (Cidadania-SC).

O primeiro pedido de impeachment de Bolsonaro chegou à Câmara. Cabe ao presidente da Casa, Rodrigo Maia, dar seguimento à demanda.

De acordo com a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), a crise do coronavírus não deve levar as indústrias brasileiras de aves e suínos a cortar produção e nem mesmo promover férias coletivas a trabalhadores.

Nos Estados Unidos, o governo prepara um pacote de estímulo de US$ 1 trilhão para fortalecer a economia.

Na Europa, a inflação da zona do euro desacelerou a 1,2% em fevereiro e o superávit comercial da região contraiu a 17,3 bilhões de euros em janeiro, mostrou a Eurostat.

O BC da Islândia cortou juros pela segunda vez em uma semana, em 0,50 ponto porcentual, de 2,25% a 1,75%.

Por aqui, grande expectativa pela decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) sobre a taxa Selic do Brasil.

Embora o mercado especule, não se sabe ainda o destino dos juros básicos da economia por causa dos últimos acontecimentos.


Sobre o autor