Empresas

Panorama corporativo: XP, Oi, Petrobras, Méliuz, Rede D’or

Por TradersClub
16 julho 2021 - 10:04 | Atualizado em 16 julho 2021 - 11:58
Oi Petrobras

São Paulo, 16 de julho – Algumas das notícias que podem mexer com o pregão da bolsa na B3, como: XP, Oi, Petrobras e outras:

XP: a carteira de crédito da XP Inc avançou 43% na base sequencial no segundo trimestre, enquanto as captações líquidas voltaram a acelerar. A carteira de crédito atingiu R$6,8 bilhões nos três meses findos em 30 de junho. Já os ativos sob custódia da XP atingiram R$817 bilhões. Os dados mostram a resiliência e o poder de mercado da XP, em meio a uma concorrência forte com BTG Pactual

LEIA: Retail liquidity provider (RLP) – o que é e como funciona na prática?

Petrobras: a Sobek Energia, companhia que desenvolve projetos de geração elétrica, informou que vai contestar o processo de venda da Gaspetro pela Petrobras. A petroleira, porém, nega que a Sobek estivesse na disputa. A empresa de energia diz que cumpriu os prazos e quer garantir a continuidade para comprar a Gaspetro.

Oi: as recuperandas da Oi registraram investimentos de R$292,0 milhões em maio, o que representa aumento frente ao dado de abril, quando os investimentos somaram R$144,0 milhões. O saldo de caixa das recuperandas ficou R$1,395 bilhão, R$600 milhões a menos do que no mês de abril.

Rede D’or: a Rede D’or pretende investir R$17 bilhões em expansão nos próximos cinco anos, segundo o vice-presidente da companhia, Leandro Reis, em entrevista ao Valor.

Gerdau: a Shell fechou acordo com a Gerdau para viabilizar a construção do primeiro parque de geração solar da petroleira, em Minas Gerais. A unidade terá capacidade de produzir 190 megawatts.

Méliuz: a Méliuz precificou a oferta subsequente de ações a R$57,00 por papel, segundo comunicado da companhia. De acordo com o Valor, a oferta levantará cerca de R$ 770 milhões na oferta base, dos quais R$ 427,5 milhões vão para o caixa da companhia. De acordo o Brazil Journal, a companhia fechou uma parceria para cashback com a rede cinemas Cinemark.

Embraer: a Embraer assinou um acordo de longo prazo para o Programa Pool com a CommutAir, operadora da United Express, para apoiar a frota de jatos ERJ 145 da companhia aérea.

Cruzeiro do Sul: a educacional informou ontem ao mercado a compra da Instituição Universitária Moura Lacerda, por R$54 milhões. Sediada em Ribeirão Preto e com unidade em Jaboticabal, ambas cidades no interior paulista, a Moura Lacerda tem 3,0 mil alunos da educação básica à pós-graduação.

Duratex: a companhia anunciou que o seu Conselho de Administração aprovou a mudança da marca para Dexco, que precisa ainda ser aprovada em Assembleia Geral Extraordinária no dia 18 de agosto. A empresa também informou que investirá R$2,5 bilhões, em três anos. A marca Deca ficará com boa parte desses recursos, R$1,1 bilhão.

MRV: a construtora registrou VGV de lançamentos em R$2,4 bilhões no segundo trimestre, alta anualizada de 5,4%, enquanto as vendas líquidas bateram R$2,06 bilhões, acelerando 13,7% na base anual. A geração de caixa da MRV no período ficou negativa em R$700 mil, devido à alta nos preços de matérias-primas e mudanças no repasse de recursos da Caixa Econômica. No trimestre passado, o indicador havia ficado negativo em quase R$360 milhões.

Tenda: Registrando recordes, a Tenda reportou lançamentos em R$985,6 milhões no segundo trimestre, alta de 56,4% na base anual, com vendas brutas batendo R$959 milhões e vendas líquidas, R$858 milhões, altas anuais de 39% e 49%, na ordem. A VSO líquida da construtora cresceu 3,9 pontos percentuais na comparação ano a ano, atingindo 34,3%.

Eztec: a construtora registrou vendas líquidas de R$285,0 milhões no segundo trimestre deste ano, 131% superiores ao apurado em igual período de 2020. Os lançamentos somaram R$928,0 milhões entre abril e junho, ante os R$28 milhões apurados no primeiro trimestre. A VSO líquida foi de 12,8% no segundo trimestre, alta de 98 pontos percentuais em um ano.

Banco ABC: o banco anunciou a criação da ABC Corretora, que atuará prioritariamente na área de seguros.


Sobre o autor