EconomiaHome

Opep e aliados selam acordo que mantem cortes na produção para apoiar preços

Por Eloiza Amaral
02 julho 2019 - 12:26
Opep reduz previsão da demanda mundial de petróleo em 2019 devido tensões

A Opep, Rússia e outros produtores aliados, numa aliança conhecida como Opep+, assinaram nesta terça feira (02), em Viena, um acordo para manter os cortes na produção de petróleo até 2020, a fim de conter os preços em meio a um boom na produção americana.

O texto foi aprovado por unanimidade pelos 14 membros da Organização de Países Exportadores de Petróleo (Opep) e seus 10 países parceiros.

A aliança existia de modo informal desde 2016, quando, empurrados pela redução nos preços da commoditie, os membros da Opep se uniram a outros 10 países produtores de petróleo, como o México, a Rússia e o Cazaquistão para limitar a produção.

A união foi selada através de um documento de “cooperação permanente”, e os detalhes ainda são desconhecidos. O acordo gera uma espécie de Opep expandida, uma vez que todos os países se reuniram para ir contra os Estados Unidos.

O petróleo Brent já subiu mais de 25% este ano, após o Estados Unidos imporem sansões ao Irã e a Venezuela, membros da Opep, o que fez com que as exportações de ambos os países diminuísse.

Para evitar um excesso da oferta da commoditie, a Opep, Rússia e outros produtores aliados, concordou em diminuir a oferta em 1,2 milhão de bpd a partir de 1º de janeiro.


Sobre o autor