EconomiaHome

OMC reduz expectativas de crescimento do comércio mundial para 2,6% devido incertezas

Por Eloiza Amaral
02 abril 2019 - 12:51
balança comercial

Há algum tempo, o mundo vem sofrendo algumas incertas econômicas como o Brexit, a inversão da curva de juros dos Estados unidos, e as tensões comerciais do país com a China. Com tudo isso, a Organização Mundial do Comércio (OMC) confirmou que reduziu suas estimativas para o crescimento do comércio global em 2019.

Manual do Imposto de Renda para Investidores

Para esse ano, era estimado que o indicador aumentaria 3,7%, e ficaria em linha com as projeções para o avanço do PIB (Produto Interno Bruto) mundial. No entanto, com os vários acontecimentos as projeções atuais foram reduzidas para 2,6%.

A Organização afirmou em seu relatório que a economia teve abalos em 2018 e continuará sentindo “fortes ventos contrários em 2019 e 2020”. As expectativas eram de que o comércio de produtos crescesse 3,9% no último ano, quando só avançou 3% e ainda encolheu 0,3% entre outubro e dezembro.

Para a OMC, o comércio tem sido impactado por novas tarifas e medidas retaliatórias, crescimento econômico mais fraco, volatilidade nos mercados financeiros e condições monetárias mais apertadas em países desenvolvidos. “O crescimento do comércio poderá se recuperar para 3% em 2020; no entanto, isso depende de um alívio das tensões comerciais”, completou a entidade.

O comércio pode até ter crescido lentamente em 2018, mas o valor em dólar aumentou cerca de 10%, para US$ 19,48 trilhões, como consequência, em parte, de um aumento de 20% nos preços do petróleo, disse a OMC.

Baixe o e-book: Desvendando o swing trade: tudo o que você precisa saber!

Sobretudo, o volume do comércio e produtos deve forte expansão em países que estão desenvolvimento, com expectativas que beiram alavancagem de 3,4% nas exportações, ante crescimento de 2,1% em economias desenvolvidas.

O total estimado de 2,6% é incerto, pois representa a média entre 1,3% e 4%, ou seja, a taxa de desenvolvimento pode ser ainda maior ou menor caso as tensões comerciais piorem ou melhorem.

 


Sobre o autor