Ações

Oferta de ações na B3 volta ao radar dos investidores

Por Bruna Santos
05 junho 2020 - 08:00 | Atualizado em 05 junho 2020 - 08:51

Em meio a um cenário menos turbulento, ao qual a Bolsa brasileira tem reagido, empresas acenam para a retomada da oferta de ações na B3.

Recentemente, a dona de Casas Bahia e Ponto Frio, Via Varejo (VVAR3) comunicou ao mercado o plano de realizar a nova captação no mercado. O plano, conforme comunicado enviado à CVM, é realizar uma oferta de ações (follow on) de no mínimo 220 milhões de papéis.

Além disso, esse valor poderá ser acrescido em mais 35%, isto é, cerca de 77 milhões de ações. O preço por Ação será fixado após a conclusão do procedimento de coleta de intenções de investimento perante investidores profissionais, segundo anúncio da Via Varejo.

Os recursos serão revertidos para investimentos em tecnologia e logística, segundo a Via Varejo. Ademais, a otimização da estrutura de capital, bem como o reforço de capital de giro faz parte dos planos da companhia com essa oferta.

Do mesmo modo, a International Meal Company (MEAL3) indicou a possibilidade de entrar na onda da oferta de ações e, nesse contexto, contratou o BTG Pactual para atuar como seu assessor financeiro.

Centauro (CNTO3) capta R$ 900 mi em oferta de ações

De acordo com a Reuters, a CFN, dona da Centauro (CNTO3) definiu em R$ 30 cada sua oferta de ações. A operação estimava captar R$ 900 milhões.

Ontem (4), a ação da dona da rede de lojas de artigos esportivos fechou na Bolsa brasileira cotada a R$ 31,50. Assim sendo, os investidores na oferta compraram com um desconto de, em média, 5%.

No total, foram vendidos 30 milhões de novas ações por meio de uma oferta primária subsequente. Seriam 25 milhões, mas foi exercido um lote adicional de 5 milhões de papéis ações, cujo limite era de 8,7 milhões ações.

A Reuters indicou que o objetivo da Centauro é usar esses recursos para financiar oportunidades de aquisição abertas pela crise provocada pelo novo coronavírus.

O follow-on ocorre pouco mais de um ano após a varejista realizar a sua oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês).


Sobre o autor