Economia

“O que faz sentido para o Brasil é abrir a economia”, diz Campos Neto

Por Fast Trade
02 setembro 2020 - 16:00 | Atualizado em 02 setembro 2020 - 17:40
Presidente do Banco Central - Economia
Presidente do Banco Central

O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, falou sobre o futuro da economia no evento virtual “Emerging & Frontier Forum 2020”, organizado pela Bloomberg. De acordo com ele, o Brasil precisa não apenas voltar à disciplina fiscal em 2021, mas também “abrir a economia”, conforme reportagem da Agência Estado.

Nesse contexto, ele destacou os estímulos a investimentos pelo setor privado para que o crescimento econômico nacional possa ser sustentável ao longo do tempo. “Nós tentamos crescer com o investimento estatal no passado e isso não deu certo“, declarou o economista.

Baixe gratuitamente: Guia completo de como ter sucesso nos investimentos na Bolsa de valores

Auxílio emergencial

Em todo o mundo, os países procuram virar a chave que deixe para trás os impactos oriundos da pandemia do novo coronavírus. Na esteira dos apoios econômicos promovidos pelo governo para amparar a economia nacional neste momento, Campos Neto falou sobre os gastos com medidas emergenciais.

O presidente do Banco Central afirmou que o Brasil está no ranking dos países que mais gastou com medidas emergenciais por causa da Covid-19.. “Todas as medidas tomadas pelo governo no enfrentamento à pandemia se encerram no dia 31 de dezembro, ao contrário do que acontecerá em outros países”.

Desse modo, o economista ressaltou a importância de se voltar novamente ao plano original de ajuste fiscal que vinha sendo implementado até o ano passado.

Baixe agora: Guia completo de como ter sucesso nas operações de day trade

Recuperação da economia (PIB)

Apesar do tombo histórico de 9,7% para o PIB brasileiro no segundo trimestre, período que inclui o mês abril, considerado o “fundo do poço” para a economia em razão da pandemia, o presidente da autoridade monetária acredita que o resultado do terceiro trimestre será melhor.

“Estamos vendo a economia recuperar, os dados mais recentes – das últimas cinco semanas – mostram que estamos começando essa recuperação”, disse.

Ele destacou, por exemplo, a agricultura que continuou apurando resultados positivos. Inclusive, o agronegócio se descolou da queda histórica do PIB e avançou no trimestre.

Para este ano, a avaliação do economista é que a economia brasileira deve contrair 5%, mas crescer um pouco acima de 4% em 2021.

Baixe agora: Guia de A a Z de como se tornar um trader!

Câmbio

Sobre a volatilidade cambial, ele disse que o BC não trabalha com nível de preço para o câmbio, mas se os mesmos problemas de disfuncionalidade identificados no passado forem percebidos outra vez, a autoridade poderá agir “com mais força”.

Além disso, a entidade monetária permanece estudando os fatores que estão provocando a volatilidade do câmbio, completou Campos Neto, que citou a realização de mais contratos pequenos, bem como o uso do real como hedge.

Contudo, Campos reiterou que o câmbio é flutuante, então o Banco Central não atuará para manter a moeda em um certo patamar, mas quando considerar que o mercado está disfuncional.

Baixe agora: Dólar e Mini Dólar – Desvendando este mercado

Veja mais destaques recentes da economia:

Atividade da indústria cresce em agosto com recorde de produção e encomendas

Balança comercial tem superávit de US$ 6,6 bilhões, o maior para agosto

‘A economia já pegou no tranco’, afirma Guedes

Confiança da indústria e do comércio sobem em agosto pelo 4° mês consecutivo

Atividade econômica no Brasil está voltando aos níveis pré-Covid, avalia BofA

Quer ficar informado de tudo o que acontece no mercado financeiro? Então participe gratuitamente do Canal do Fast Trade no Telegram através do link: https://t.me/plataformafasttrade


Sobre o autor