Política

Novo pedido de impeachment contra Bolsonaro é protocolado por oposição

Por Bruna Santos
22 maio 2020 - 07:17 | Atualizado em 22 maio 2020 - 08:13

Um novo pedido de impeachment contra o presidente Jair Bolsonaro foi protocolado na véspera (21), na Câmara dos Deputados. O pedido engloba sete legendas de oposição (PT, PCdoB, PSOL, PCB, PCO, PSTU e UP) e mais de 400 entidades da sociedade civil e juristas.

Três acusações norteiam o documento que pede o impeachment do presidente da República: apoio a manifestações antidemocráticas; interferência na Polícia Federal para benefício próprio (o inquérito para investigar a acusação oriunda do ex-ministro Sérgio Moro está em curso), mas também a atuação contrária às diretrizes sanitárias de combate ao coronavírus.

Segundo o líder do PT no Senado, Rogério Carvalho (SE), a conduta de Bolsonaro frente à pandemia é o ponto central do pedido. “Para nós, a acusação de Moro é um detalhe que precisa ser investigado”, disse o parlamentar ao Broadcast/Estadão.

Carvalho ainda afirmou que é preciso investigar o próprio Moro, que, segundo ele, “só foi denunciar no dia em que foi contrariado”. “O crime maior (de Bolsonaro) é contra a vida durante a pandemia do novo coronavírus”, disparou.

A deputada estadual Janaina Paschoal (SP-PSL) ironizou o fato de o PT usar o depoimento de Moro para embasar o pedido de impeachment contra Bolsonaro. “Vivi para testemunhar: Petistas e simpatizantes se pautando na palavra de Sérgio Moro, para pedir o afastamento de Bolsonaro!”, escreveu ela no Twitter.

Entre as testemunhas listadas estaria o próprio ex-ministro da Justiça, Sérgio Moro. Em contrapartida, não há expectativas de que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), aceite o pedido em breve, a menos que surjam novos fatos.

“É direito de qualquer cidadão apresentar um pedido de impeachment. Eu sou o presidente da Câmara, que defiro ou indefiro um pedido de impeachment, e preciso preservar para que não pareça que eu tenho posição tomada sobre o assunto’’, disse ele.

Leia também: Pedidos de impeachment não serão protocolados imediatamente


Sobre o autor