EmpresasHome

Notícias corporativas: Linx vai recomprar até 8 milhões de ações, Petrobras, Vivo e Helbor

Por Bruna Santos
10 março 2020 - 09:38
Mercado de capitais é a grande oportunidade do Brasil

Dentre as notícias corporativas, além da agenda de resultados da semana, Vivo anunciou que terá apenas ações ordinárias (VIVT3).

Segundo o comunicado, a proposta que compreende a conversão da totalidade dos papéis preferenciais (VIVT4) ainda será encaminhada a Anatel.

De acordo com a administração da empresa, “a conversão propiciará a maximização da geração de valor a todos os acionistas”.

O conselho de administração da Linx (LINX3) aprovou um programa de recompra de até 8 milhões de ações ordinárias.

De acordo com o fato relevante da própria companhia, esse montante corresponde a 4,28% do total de ações da mesma.

Segundo a Linx, a operação tem como propósito a maximização da geração de valor para o acionista. Isso será conquistado, conforme seus planos, por meio de uma administração eficiente da estrutura de capital.

Além de divulgar a quantidade de ações que serão recompradas do mercado, bem como as empresas que intermediarão o processo (Credit Suisse, Itaú BBA, Goldman Sachs e Morgan Stanley), a Linx informou que o prazo máximo para realização do programa será de 18 meses, com início em 09 de março de 2020 e término em 09 de setembro de 2021.

Atualmente, a Linx possui 179 milhões de ações ordinárias em circulação e 9 milhões de ações ordinárias mantidas em tesouraria.

Em meio a queda do petróleo que vem aumentando os desafios da Petrobras (PETR3PETR4) em 2020, a petroleira comunicou a venda de quatro campos de gás natural no interior da Bahia para a Eagle Petróleo e Gás. A operação custou US$ 3,01 milhões (R$ 14,3 milhões).

Ademais, a construtora Helbor (HBOR3) sinalizou que fará uma emissão de debêntures simples a fim de levantar R$ 47 milhões.

Leia mais:

Balanços corporativos: semana tem resultados de Localiza, Arezzo, Minerva e muito mais

Ibovespa desaba 12% e volta aos 86 mil com coronavírus e tombo da Petrobras


Sobre o autor