HomeMercados

“Nenhum novo imposto será criado”; posse de armas no campo; cessão onerosa; Previdência e mais

Por Pablo Vinicius Souza
30 abril 2019 - 10:25

Internamente, o mercado repercute ainda os desdobramentos da reforma previdenciária.

Buscando ampliação na base de apoio, Guedes confirma distribuição de parte do recurso arrecadado com a cessão onerosa a Estados.

Além disso, Bolsonaro se compromete com a fala de que seu governo não imporá nenhum novo imposto durante mandato.

No exterior, destaque para o início da reunião que definirá a política monetária nos Estados Unidos, pelo Federal Reserve.

Além disso, o petróleo opera em alta, com expectativas de que a Arábia Saudita reduza sua oferta da commoditie.

Apesar dos dados decepcionantes na atividade industrial, bolsas da China encerram em alta

Na China, seus principais índices acionários fecharam a sessão em alta, apesar dos dados fracos de atividade industrial.

Com a chegada do feriado do Dia do Trabalho, os mercados da China permanecerão fechados até a próxima segunda-feira (6).

No continente europeu, suas principais bolsas operam em baixa, mesmo após seus indicadores superarem as expectativas de analistas.

Na Zona do Euro, o PIB avançou 1,2% em uma comparação anual.

No último trimestre do ano passado, o avanço foi de 0,4%.

Em contrapartida, a taxa de desemprego na Zona do Euro recuou 7,8% em fevereiro deste ano, para 7,7% em março.

Saiba quais são os principais compromissos econômicos globais para esta terça-feira

Hoje marca o início da reunião para definição da política monetária nos Estados Unidos, pelo Federal Reserve.

Ademais, o presidente Donald Trump discutirá infraestrutura em uma reunião na Casa Branca com a presidente da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi e o líder democrata do Senado, Chuck Schumer.

No que diz respeito aos indicadores, o país norte-americano divulgará os custos do emprego, bem como vendas pendentes de casas, assim como a confiança do consumidor, indicadores de expectativas e situação atual.

No universo corporativo, o McDonald’s divulgará seus dados, seguidos de General Motors, Mastercard, ConocoPhillips, General Eletric e Apple.

Em nossa agenda doméstica, o dia também promete ser movimentado, embora estejamos diante de uma véspera de feriado.

Estão previstos para esta manhã a divulgação da sondagem de serviços relacionados ao mês de abril, pela FGV, bem como a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) Contínua, pelo IBGE.

Além disso, o IBGE divulgará os índices de preços ao produto da indústria de transformação, referente ao mês de março.

Também hoje, o Banco Central publicará o resultado fiscal consolidado, bem como os desempenhos primário e nominal das contas públicas.

“Em nosso governo nenhum novo imposto será criado”, afirmou Bolsonaro após Cintra falar de nova tributação

A declaração do secretário da Receita Federal, Marcos Cintra, pegou todos de surpresa, inclusive o presidente da República, Jair Bolsonaro.

Em entrevista à Folha de S.Paulo, o secretário alertou para uma nova tributação.

Sendo assim, até as igrejas seriam atingidas com a mudança na folha de pagamento por um imposto sobre transações financeiras.

Cintra afirmou que “todo o mundo vai pagar esse imposto, igreja, a economia informal, até o contrabando”.

Em resposta, Bolsonaro se pronunciou por meio de sua conta pessoal no Twitter e afirmou estar surpreso com a declaração.

“Fui surpreendido nessa manhã com a declaração do nosso secretário da Receita que seria criado um novo imposto para as igrejas. Quero me dirigir a todos vocês que essa informação não procede”, disse Bolsonaro em vídeo publicado na página pessoal do presidente.

“Em nosso governo nenhum novo imposto será criado, em especial para as igrejas, que, além de ter um excelente trabalho social prestado a toda comunidade, reclamam eles, em parte com razão, em meu entendimento, que há uma tributação nessa área”, completou Bolsonaro.

Bolsonaro e Maia arquitetam votação com urgência para projeto de uso de armas no campo 

Uma das promessas mais polêmicas do presidente Jair Bolsonaro foi a liberação da posse de armas para o cidadão comum.

Agora, Bolsonaro quer dar um passo além na medida junto do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia.

De acordo com o presidente, o próximo passo será o porte de armas a moradores do campo e trabalhadores rurais.

Juntos, ambos negociam para que a votação aconteça na próxima semana junto ao plenário.

Se aprovada, a mudança permitirá que o grupo porte armas de fogo dentro de toda a sua propriedade.

Atualmente, só a posse é permitida e, mesmo assim, no interior da residência.

Em discurso no evento Agrishow, Bolsonaro defendeu ainda que não haja punição para proprietários de terras que atirarem contra invasores.

“A propriedade privada é sagrada e ponto final”, disse.

Receita com cessão onerosa pode ficar para o ano que vem, admite o Tesouro Nacional

Embora um dos assuntos mais badalados do governo esteja próximo do fim, ainda há um considerável caminho a ser trilhado.

Recentemente, o Tesouro Nacional entregou uma perspectiva de que os recursos da cessão onerosa podem ser recebidos apenas em 2020.

O saldo projetado é de R$ 106 bilhões, montante que deve ser pago pelas petroleiras vencedoras da disputa.

A expectativa é que o pagamento contribua para amenizar o déficit primário de R$ 132 bilhões previsto para este ano.

Ademais, só em março a Secretaria do Tesouro Nacional apontou um déficit primário de R$21,108 bilhões nas contas do governo.

Ainda assim, eventuais atrasos no processo de findar a cessão onerosa podem postergar a receita para o ano que vem.

De acordo com o secretário do órgão, Mansueto Almeida, o pagamento deve ser realizado em 13 de dezembro.

Isso porque a data foi definida pelo Conselho Nacional de Política Energética (CNPE), de acordo com o Valor Econômico.

Em paralelo, o ministro da Economia, Paulo Guedes, concordou em distribuir aos Estados uma parcela dos R$ 106 bilhões previstos.

Há, no entanto, um condicionamento: que haja avanço na votação da reforma da Previdência.

‘Executivo e legislativo estão unidos por Previdência’, afirma Ramos, relator da Previdência

O presidente da República levou a sério os conselhos de que precisava se dedicar mais a articulação da reforma previdenciária.

Nesse meio tempo, seus esforços se multiplicaram – e tem surtido efeitos positivos para o avanço na tramitação da PEC.

Ontem, o deputado e presidente da Comissão Especial que analisa a reforma da Previdência na Câmara, Marcelo Ramos, comentou a reunião entre Bolsonaro e o principal grupo atualmente responsável pela condução da reforma.

De acordo com o Estadão/Broadcast, o parlamentar destacou uma unidade entre o Executivo e o Legislativo para aprovar a proposta.

Nesta terça-feira (30), a Comissão Especial se reunirá informalmente para acertar prazos e procedimentos para o avanço da reforma.

O avanço da tramitação pode ser fundamental para melhorar a percepção de que o governo não é interventor na economia.

Depois do episódio com a Petrobras, Bolsonaro pediu a redução dos juros dos financiamentos a produtores rurais, ao presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes.

Banco Itaú prevê que reforma da Previdência poupará entre R$ 670 a R$ 990 bilhões

Muito ainda se discute quanto ao montante a ser gerado na economia por meio da reforma da Previdência.

Nesse sentido, o Itaú Unibanco projetou uma economia entre 50% a 75% do valor embutido na proposta original do governo.

Por consequência, o sistema de aposentadorias economizaria a média de R$ 670 e R$ 990 bilhões entre 2020 e 2029.

De acordo com as contas do governo, a poupança girará em torno dos R$ 1,25 trilhão em dez anos. 

Em fato relevante, Magazine Luiza anuncia aquisição da Netshoes por US$ 62 milhões

O Magazine Luiza informou ao mercado a celebração do “Agreement and Plan of Merger” com a Netshoes (Cayman).

Isso quer dizer que a Luiza adquiriu (por incorporação) a totalidade das ações representativas do capital social da Netshoes.

A operação, segundo a própria companhia, está avaliada em US$ 2,00 por ação, saldo que totaliza, aproximadamente, US$ 62 milhões.

Por conseguinte, a Netshoes passará a ser uma subsidiária do Magazine.

Além disso, seus atuais acionistas receberão o valor de suas ações exclusivamente em dinheiro.

Ontem a noite, a varejista online de calçados e vestuário esportivo publicou seus resultados referentes ao quatro trimestre de 2018.

A empresa viu seu prejuízo crescer 81,7%, para R$ 90,3 milhões, quando comparado com o mesmo período do ano anterior.

Em fato relevante enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), o Magazine informou que a conclusão da operação está condicionada à satisfação de determinadas condições precedentes estabelecidas no “Agreement and Plan of Merger”.

Crise na Argentina leva Gol, Latam, Azul e Aerolíneas Argentinas a paralisar suas atividades

Se você está planejando uma viagem à Argentina, é melhor esperar um pouco mais.

Sindicatos contrários ao programa de austeridade do presidente Mauricio Macri anunciou o cancelamento de voos programados para esta terça-feira (30).

A princípio, a paralisação é de apenas 24horas, mas foca em voos que possuem a Argentina como destino ou origem.

Dessa forma, a paralisação pode fechar boa parte da economia argentina, já afetada pela recessão e inflação.

Dentre as companhias aéreas que ingressaram na paralisação estão: Latam, Azul, Gol e Aerolíneas Argentinas.

Em contrapartida, Macri trabalha para melhorar sua imagem ante às eleições gerais de outubro, de acordo com a agência Reuters.


Sobre o autor