HomePolítica

‘Não se pode fazer estímulos artificiais’ à economia, afirma Guedes

Por Pablo Vinicius Souza
05 junho 2019 - 10:40
ministro da Economia, Paulo Guedes

O ministro da Economia, Paulo Guedes, esteve presente na Comissão de Finanças e Tributação e justificou a cautela do governo.

Segundo ele, sem a reforma da Previdência, até pequenas ações de estímulo à economia no curto prazo podem ser “perversas”.

“Falamos muito da Previdência, como se isso fosse tudo. Mas é só um início”, disse ele.

“A economia de R$ 1 trilhão com a reforma nos permite encerrar a fase de contenção “, completou o ministro.

Paulo Guedes ainda salientou a crença pela retomada imediata do crescimento econômico mediante a aprovação da reforma previdenciária.

De acordo com ele, muitos investidores estão aguardando “clarear” o cenário para injetar recursos no país.

“Se fizer uma reforma forte, ela bota o Brasil para crescer imediatamente” contou.

“Os investimentos estão represados, à espera do que vai acontecer. A bolsa [de valores] é só um sinalizador de futuro”, emendou.

Leia mais:

Saiba quais são os principais compromissos econômicos globais para esta quarta-feira

Governo tenta aprovar crédito suplementar nesta quarta-feira

Orçamento Impositivo contará com concessão para Estados e municípios

Presidente da comissão da Previdência questiona “prioridade” de Bolsonaro

Investidor estrangeiro finda maio com saldo negativo no índice Bovespa da B3


Sobre o autor