Política

“Não é a CPMF, é uma tributação digital”, diz Bolsonaro sobre proposta de Guedes

Por Fast Trade
19 julho 2020 - 10:59 | Atualizado em 20 julho 2020 - 07:00

O possível retorno da CPMF pode ser considerado o novo ponto de atrito entre o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, e o governo.

Com o envio da primeira parte da reforma tributária previsto para a próxima terça-feira (21), Maia já avisou que não aceitará o novo imposto.

Nesse primeiro momento, a reforma deve criar o IVA (Imposto sobre Valor Agregado), que substituirá o PIS e à Cofins.

Baixe agora o e-book: Dólar e Mini Dólar – Desvendado este mercado

Em entrevista à GloboNews, o deputado disse até que planeja recriar a campanha “Xô, CPMF”.

Por sua vez, o presidente Jair Bolsonaro garantiu que o ministro da Economia, Paulo Guedes, não planeja a recriação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira.

Baixe gratuitamente: Análise técnica de ações e futuros

Conforme dito por Bolsonaro no Palácio da Alvorada, “o que o Paulo Guedes está propondo não é a CPMF não, é uma proposta de tributação digital”.

Baixe gratuitamente: Descubra o seu perfil de investidor e aprenda a investir o seu patrimônio

De acordo com o presidente, a proposta é para financiar o Renda Brasil, programa social do governo que substituirá o Bolsa Família, mas também para desonerar a folha de pagamentos.

Assim sendo, a proposta eliminaria outros encargos por meio de uma compensação. “Mas se a sociedade não quiser, não tem problema nenhum”, declarou.

Baixe agora: Guia completo de como ter sucesso nas operações de day trade

Por fim, veja outros momentos em que a CPMF foi destaque nos noticiários, já em 2019:

“Nova CPMF” pode substituir outros tributos

Ibovespa desvia do exterior e volta aos 111 mil com possível retorno da CPMF

Governo busca alternativas à CPMF

Além disso:

Secretário especial da Receita Federal é exonerado após confirmar “nova CPMF”

‘’Nova CPMF’’ terá imposto de 0,4% sobre saques e depósitos

Ademais, confira ainda os destaques do último pregão e o que você, investidor, deve acompanhar nos próximos dias:

Resultados corporativos, prévia da inflação e reforma são destaques da próxima semana

Ibovespa dispara 2,3% com reforma tributária e otimismo local

Dólar avança a R$5,38 impulsionado pelo cenário de riscos

Petróleo cai com incertezas sobre a retomada da demanda


Sobre o autor