Política

Moro depôs por quase 9h à Polícia Federal

Por Bruna Santos
03 maio 2020 - 11:01 | Atualizado em 04 maio 2020 - 07:34

Em meio a protestos e atos de apoio, o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sérgio Moro depôs em Curitiba. Determinado pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Celso de Mello, a oitiva chegou a durar quase nove horas.

O depoimento prestado à Polícia Federal foi, sobretudo, devido às acusações que fez contra o presidente da República, Jair Bolsonaro, quando renunciou o seu cargo.

Segundo Moro, Bolsonaro procurava interferir em investigações e ter acesso ilegal a elas. O presidente, por sua vez, nega ter cometido qualquer irregularidade.

Conforme apurado pelo Valor Investe, embora o teor do depoimento de Moro ainda não seja oficialmente público, o também ex-juiz da Lava Jato entregou seu celular, com acesso ao acervo de mensagens de aplicativo de interesse no inquérito. Além disso, ele também disponibilizou o conteúdo de mídia de seu computador pessoal.

Moro depôs acompanhado por representantes da Procuradoria Geral da República e, horas antes, Bolsonaro o chamou de Judas. A mensagem publicada acompanha um vídeo sobre a tentativa de assassinato que ele sofreu durante as eleições de 2018.

Neste domingo, o ex-ministro Sergio Moro Tweetou que ‘há lealdades maiores do que as pessoais‘.

Leia mais:

Bolsonaro e Moro trocam farpas no Twitter após demissões

Renúncia de Sérgio Moro repercute no mundo; saiba quem deve substituí-lo


Sobre o autor