Economia

Ministério da Infraestrutura quer realizar 14 leilões ainda em 2020

Por Fast Trade
03 julho 2020 - 08:00 | Atualizado em 03 julho 2020 - 08:30
CCR vence leilão na disputa por rodovia gaúcha

Apesar das incertezas provocadas pela pandemia do coronavírus, o ministério da Infraestrutura mantém a expectativa de realizar 14 leilões ainda em 2020.

Primeiramente, o ministro da Pasta, Tarcísio de Freitas, destacou que a previsão é que três desses leilões sejam concessões de grande porte e 11 arrendamentos portuários.

Dois grandes terminais de transporte de celulose no porto de Santos (SP) estão na mira. Os terminais integram 11 arrendamentos portuários.

Em agosto deve ocorrer o leilão de dois, o STS14 e STS14A. De antemão, esses arrendamentos devem receber R$ 420 milhões de investimentos, segundo o ministério.

Além disso, o ministério da Infraestrutura deve publicar os editais para o arrendamento dos outros nove terminais: IQI03, IQI11, IQI12, IQI13, no Porto de Itaqui (MA); PAR12, no Porto de Paranaguá (PR); ATU12 e ATU18, no Porto de Aratu-Candeias (BA); MCP02, no Porto de Santana (AP); e MAC10, no Porto de Maceió (AL).

Assim também, no setor ferroviário, o governo espera publicar edital de concessão do primeiro trecho da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol) até o final de setembro.

Balanço do Ministério da Infraestrutura

O balanço divulgado pelo ministério da Infraestrutura também menciona os leilões da BR-153/080/414, entre Goiás e Tocantins, e da BR-163/230, entre Mato Grosso e Pará.

Importantes corredores de escoamento da safra de grãos do Brasil, as rodovias projetam investimentos de aproximadamente R$ 9,5 bilhões, de acordo com a Reuters.

Essa será a primeira rodovia concedida pelo governo no modelo híbrido, destacou o Minfra sobre o leilão para a BR-153/080/414/GO/TO, que tem como principal critério para o leilão a combinação entre o menor valor de tarifa e maior valor de outorga fixa. Nesse contexto, a previsão da Pasta é publicar o edital em setembro e realizar o leilão em dezembro deste ano.

“O fato de seguirmos em frente com as concessões está calcado nas conversas que temos tido com investidores”, disse o ministro da Infraestrutura na apresentação. Ele mencionou contatos para o programa de concessões de infraestrutura em transportes que tem a ambição de levantar R$ 250 bilhões em investimentos até 2022.

No primeiro semestre, a Pasta concluiu 39 entregas. Em valores, isso representa R$ 3,5 bilhões, conforme o balanço apresentado na véspera (2). Foram 126,9 km de rodovias duplicadas, 88,5 km pavimentados e 110,6 km de novas restaurações.

Por fim, confira na íntegra a previsão de entregas do Ministério da Infraestrutura para o 2º semestre.


Sobre o autor